UFC

Dana responde a Jon Jones: "Ser o maior de todos não significa que você vai ganhar US$ 30 milhões"

Presidente do UFC diz que lutador não quis ver os números que seu advogado o mostraria, e afirma que ele mesmo diminuiu seu valor: "Poderia ser o LeBron James deste esporte".

Por

A duelo de palavras entre Dana White e Jon Jones parece longe do fim. Após o lutador dizer que o presidente do UFC mentiu ao mencionar os valores que ele teria pedido para enfrentar Francis Ngannou no peso-pesado, White respondeu, durante a coletiva de imprensa após o "UFC: Woodley x Burns", que Jones recusou-se a ver os números que seu advogado o mostraria e exigiu ganhar o que estava pedindo.

- Ser o maior de todos os tempos não significa que você vai ganhar 30 milhões de dólares. Ser capaz de vender faz isso. Jon Jones fez muito estrago a si mesmo, e num dos tweets ele veio dizer que eu manchei a imagem dele. Eu manchei? Você fez isso a si mesmo. Meu advogado lhe disse: “Posso mostrar para você os números”, e ele respondeu: “Não me importo quais são os números. Eu quero o que eu quero e é assim.” Não é assim que funciona. Por que vocês não voltam e dizem para seus chefes “não me importa o quanto essa empresa ganhe, quero este salário”. Vamos ver se isso dá certo.

Para o dirigente, que garantiu não ganhar nada mentindo sobre o assunto, Jones poderia ter sido o LeBron James do MMA se tivesse cuidado bem da sua imagem e da sua carreira, e deixou aberta a porta para o campeão lutar quando estiver disposto.

- Em quem vocês acreditam? Depende de vocês. O que eu ganho mentindo? Por que eu mentiria? Não importa. Ele está nervoso agora. Jon teve uma boa conversa com meu advogado, eles têm uma boa relação, mas é assim mesmo. Eu realmente não me importo, para ser sincero. Eu e Jon Jones sempre fomos assim, sempre olho para o que Jon Jones poderia ter sido. Ele poderia ter sido o LeBron James deste esporte, poderia ter sido literalmente tão grande assim. Ele exigir 15 milhões, 20 milhões, 30 milhões… É loucura. Ele pode dizer o que quiser publicamente, é seu direito aqui na América. E quando ele quiser vir lutar, ele pode.

Algumas horas depois desta entrevista, Jon Jones foi às redes sociais, reafirmou que Dana White estava mentindo e disse que abriria mão do cinturão do peso-meio-pesado do UFC.

O presidente do UFC também falou sobre a atuação de Gilbert Durinho na vitória sobre Tyron Woodley, e garantiu acreditar que o brasileiro entrou no top 5 dos pesos-meio-médios, mas não quis falar sobre quem será o próximo desafiante ao cinturão da categoria, atualmente em poder de Kamaru Usman.

- Durinho foi incrível. Para onde quer que a luta fosse ele estava bem. O jiu-jítsu dele é sensacional, e os chutes foram ótimos. Ele esteve bem em tudo, foi muito agressivo. Achei que ele seria até mais agressivo do que foi na luta, mas é preciso ter cuidado quando se encara alguém tão perigoso quanto Woodley. Acho que ele entrou no top 5 dos pesos-meio-médios, que é uma categoria inacreditável. Você tem Usman, ele, Covington, Edwards, Masvidal... Terça-feira vamos nos reunir para pensar nas próximas lutas e trabalhar em quem será o próximo desafiante.


Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

UFC marca duelo brasileiro entre Thiago Marreta e Glover Teixeira para 12 de setembro

Gilbert Durinho revela bastidores de teste positivo e volta para casa no "Coronamóvel"

Pedro Munhoz testa positivo para Covid-19 e está fora de luta contra Frankie Edgar pelo UFC

Jorge Masvidal substitui Durinho e vai enfrentar o campeão Kamaru Usman no UFC 251 na Ilha da Luta