UFC

Jorge Masvidal não se arrepende de nada sobre Colby Covington: "É um m***"

Americano de origem cubana diz que atitude do arquirrival "não é coisa de homem", que quer vencê-lo "de goleada" e mandar mensagem aos jovens: "Não tem que falar tanto, tem que lutar".

Por

Jorge Masvidal jura que, quando entrar no octógono em Las Vegas no sábado para fazer a luta principal do UFC 272 contra Colby Covington, serão "apenas negócios, nada pessoal". Contudo, quando fala do adversário e ex-companheiro de casa e de treinos, fica evidente o ressentimento do peso-meio-médio de raízes cubanas.

A rivalidade entre os dois nasceu de uma discordância quanto ao pagamento de um treinador mútuo, Paulino Hernandez, amigo antigo de Masvidal. Covington diz que pagou o técnico e que o valor reclamado por Hernandez e Masvidal é apenas uma desculpa; o "Jesus das Ruas" diz que o americano mente e não pagou nada por todo o período que treinou com o técnico.

- Meu treinador foi com ele para o Brasil quando ele enfrentou Demian Maia e todo mundo queria matá-lo. Meu treinador o cobriu e as pessoas estavam jogando coisas nele, socando, ele estava o abraçando e o protegendo. Isso é o quão gente boa meu treinador é, e você rouba o cara, não paga ele? Nunca seremos amigos, nunca verei olho no olho com esse cara - disse Masvidal em entrevista.

Já houve muitas rivalidades intensas no UFC através dos anos - os próprios Covington e Masvidal protagonizaram anos de troca de farpas com o atual campeão dos meio-médios, Kamaru Usman, e o enfrentaram duas vezes cada. Porém, muitas vezes os lutadores envolvidos terminam o confronto se cumprimentando e dizendo que era "apenas profissional" - novamente, os próprios rivais deste sábado fizeram o mesmo com Usman após suas respectivas revanches.

Masvidal jura que esse não será o caso no sábado. Ele afirma que nem liga para o rumo que a amizade entre os dois tomou e enumera motivos para rejeitar Covington.

- Eu não me arrependo de nada de como nossa relação acabou, e te digo por quê: ele é um m***. (Em português) Filho da p***, sabe! Para vender mais pay per views, (disse) "Foda-se o Brasil!" Por quê? Porque isso vai te ajudar a vender mais pay per views? Porque ele é o pior vendedor de pay per view no esporte inteiro.
- Coisas assim, não posso apoiar. Toda vez que ele ataca Amanda (Nunes), Joanna (Jedrzejczyk): por quê? Porque você tem inveja, porque não tem o que elas têm. As pessoas querem ver Amanda lutar, porque a Amanda vai para a luta. Então ele tem que falar mal da Amanda. Por que não entrar e lutar duro, pras pessoas te amarem e te apoiarem? Eu nunca quero estar associado com algo assim. Aí ele fala dos meus filhos, dos filhos do Dustin Poirier, que era seu companheiro de time, fala da esposa do Dustin Poirier. Isso não é coisa de homem - apontou.

Por todos esses motivos, o americano quer mandar uma mensagem com sua luta no sábado. Ele quer dar uma lição a Colby Covington e aos jovens fãs do MMA.

- Acho que venço no sábado com muita violência. (Em português) "Uh! Vai Morrer!" Colby Covington. Vou matá-lo. Quero machucá-lo muito. Não quero ganhar uma decisão, quero ganhar como venço todas minhas lutas e colocar uma grande diferença entre ele e eu. Se fosse um jogo de futebol, quando você marca cinco ou seis gols no outro time e todo mundo faz "Uau!" Não um ou dois, mas cinco ou seis. É isso que quero fazer. Filho da puta!


Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

Thiago Moisés explica emoção após vitória: "Vinha de duas derrotas"

Após inatividade, Natália Silva mostra alívio com estreia no UFC: "Achei que poderia nem voltar"

Com recorde de bilheteria, presidente do UFC abre o bolso e premia todos os lutadores que nocautearam

Karine Silva e Lucas Almeida faturam bônus de mais de R$ 238 mil logo na estreia no UFC