Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Apesar de atraso em início de campanha, Bolsonaro diz que vacinas foram entregues no dia 'D-1'

Quando ainda não havia previsão segura de quando o país começaria a vacinar a população, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, disse que a vacinação teria início no "dia D e na hora H".

A vacinação no país começou por São Paulo no domingo (17), quando o governador João Doria (PSDB) impôs derrota ao governo federal. (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — Apesar dos atrasos para iniciar a campanha de imunização no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta quarta-feira (20) que as vacinas foram entregues no dia "D-1".

Quando ainda não havia previsão segura de quando o país começaria a vacinar a população, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, disse que a vacinação teria início no "dia D e na hora H".

"Podemos dizer, como sempre, o papel da nossa Força Aérea. Só no corrente ano, o que fizeram pelo próximo, podemos citar o socorro aos nossos irmãos de Manaus, que passavam momentos difíceis. E a nossa Força Aérea, transportando em suas asas meios materiais e gente para socorrer os nossos irmãos", disse Bolsonaro ao discursar na base aérea de Brasília, na cerimônia alusiva aos 80 anos da FAB (Força Aérea Brasileira).

"Também a nossa Força Aérea, nesta primeira parte da entrega de vacinas no Brasil, cumpriu sua missão no dia D-1. Isso é motivo de orgulho, tendo em vista o seu planejamento, a sua organização, o seu patriotismo e o seu sentimento de defesa dos direitos humanos", afirmou Bolsonaro.

A vacinação no país começou por São Paulo no domingo (17), quando o governador João Doria (PSDB) impôs derrota ao governo federal. O Ministério da Saúde só iniciou a distribuição de imunizantes a todos os estados no dia seguinte e, mesmo assim, com atraso no envio a alguns estados.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Governador afirma que decisão final sobre Ano Novo no Rio é dele e do prefeito

STJ mantém veto a implantação de embriões por viúva de homem morto

Bolsonaro é aplaudido por empresários ao dizer que deve favores a eles e que põe juízes neutros no TST

'Anvisa quer fechar espaço aéreo', diz Bolsonaro ao minimizar ômicron