Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

São Paulo

Após tempestade de poeira, moradores de Franca lavam calçadas apesar do racionamento de água

Mesmo em pleno racionamento de água, implantado pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) desde o início do mês, os francanos lavaram garagens e calçadas, inclusive com mangueiras.

Segundo o gerente distrital da Sabesp de Franca, Alex Veronez, diariamente as equipes monitoram o consumo de água no município e, na manhã desta segunda-feira (27), estava anormal. (Foto: Reprodução)

Por

FRANCA, SP (FOLHAPRESS) — Os moradores de Franca (a 400 km de São Paulo) amanheceram nesta segunda-feira (27) empenhados na limpeza das casas e pontos de comércio após a tempestade de poeira que atingiu a cidade no fim da tarde de domingo (26).

Mesmo em pleno racionamento de água, implantado pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) desde o início do mês, os francanos lavaram garagens e calçadas, inclusive com mangueiras. Mas houve quem adotasse medidas mais econômicas.

A dona de casa Nalzira Pelizaro mora na Vila Imperador, que está sem água nesta segunda por conta do racionamento, recorreu à água estocada para lavar a garagem e a calçada. Ela tem o hábito de armazenar água da chuva e aproveitou que choveu no domingo após a nuvem de poeira passar pela cidade.

"Eu estou sem água hoje, mas não tinha condições de ficar na sujeira. No domingo, quando eu vi que o céu ficou muito vermelho, eu até fechei as janelas e portas, mas entrou muito pó, está tudo sujo. Como choveu depois, eu armazenei água e estou usando agora para limpar".

No Parque Residencial Santa Maria, a cabeleireira Silvana Garcia de Freitas, 55, também reaproveitou água para limpar a área externa de sua casa.

"Eu estava lavando roupas brancas e usei a mesma água para lavar o quintal. A casa está inteira suja, mas não tenho coragem de ligar a mangueira e sair jogando água, não é o momento. Aqui em casa é tudo piso e balcões de pedra ficaram tudo preto, de tanta sujeira. Usei um pano e balde para ir jogando água", disse ela, que começou a limpeza por volta das 8h e seguiu até depois do meio-dia.

A Sabesp classifica a crise hídrica enfrentada em Franca como grave e preocupante e recomenda à população não desperdiçar água, sob risco de tornar o racionamento ainda mais restritivo. Atualmente, o rodízio de água em vigor divide a cidade em três blocos de bairros, que ficam com 36 horas com água e 36 horas desabastecidos.

Segundo o gerente distrital da Sabesp de Franca, Alex Veronez, diariamente as equipes monitoram o consumo de água no município e, na manhã desta segunda-feira (27), estava anormal. "Estimamos que esteja 40% acima do que a cidade consome normalmente".

O gasto de água elevado, pouca chuva e a baixa vazão do Rio Canoas, principal manancial que abastece a cidade, potencializa os riscos ao sistema de abastecimento em Franca. Veronez explicou que para esta época do ano a vazão esperada no Canoas é de 1.300 litros por segundo, em média, mas na semana passada houve nova baixa e o volume reduziu para 620 litros por segundo.

"O cenário é preocupante. Enfrentamos a pior estiagem dos últimos 90 anos, com pouca chuva no período úmido e seca realmente severa. Esse fator e o calor intenso, evaporação maior e consumo alto vêm provocando desequilíbrio no sistema", afirmou o gerente da Sabesp de Franca, ao reiterar a recomendação para as pessoas reutilizarem água da máquina de lavar A prefeitura descarta a aplicação de multas aos munícipes que forem flagrados desperdiçando água. O prefeito de Franca, Alexandre Ferreira, divulgou recentemente um vídeo nas redes sociais em que afirma acreditar na postura consciente dos moradores.

"(...) Francano é consciente e participativo, e é com essa consciência que estamos vencendo os desafios da Covid. Esta mesma participação de todos é decisiva para reduzir os impactos da falta de chuva e abastecimento na nossa cidade. Não é hora de lavar a calçada, demorar no banho ou deixar a torneira aberta para lavar as louças. Neste momento, a cooperação espontânea de cada um é mais efetiva do que multa por desperdiçar água", afirmou no vídeo.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Auxílio Brasil deve beneficiar 17 milhões de pessoas, diz ministro

Homem leva mata-leão após xingamento homofóbico em Santa Catarina

Qualidade de vida do brasileiro piorou durante a pandemia, diz pesquisa

Motorista de aplicativo é espancado após briga com cliente