Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Bolsonaro sobrevoa áreas atingidas por ciclone bomba em Santa Catarina

"Somos solidários aos familiares que perderam seus parentes. [...] Nos colocamos a disposição dos governadores e prefeitos para recuperar e mitigar os problemas ocasionados por esse ciclone", disse Bolsonaro

O ciclone bomba atingiu a região Sul entre terça e quarta-feira (1º) e Santa Catarina foi o estado mais atingido. (Foto: Reprodução)

Por

FLORIANÓPOLIS, SC (FOLHAPRESS) — O presidente Jair Bolsonaro sobrevoou na manhã deste sábado (04) regiões em Santa Catarina que sofreram danos pelo ciclone bomba que atingiu a região Sul no início da semana.

Bolsonaro desembarcou do Aeroporto Internacional de Florianópolis Hercílio Luz às 8h25, cumprimentou a comitiva de deputados que aguardava o presidente próximo à pista de pouso e embarcou no helicóptero da Força Aérea Brasileira. Menos de uma hora depois, o helicóptero retornou ao pátio do Aeroporto e Bolsonaro se reuniu com políticos locais.

Em entrevista à afiliada da Record em Santa Catarina, o presidente falou sobre as áreas atingidas: "Passamos por alguns pontos que foram atingidos por esse ciclone. Realmente é uma imagem triste. Somos solidários aos familiares que perderam seus parentes. [...] Nos colocamos a disposição dos governadores e prefeitos para recuperar e mitigar os problemas ocasionados por esse ciclone".

Com diagnóstico positivo para o novo coronavírus, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), participou da reunião por meio de videoconferência. Moisés informou que o foco do Estado é de assistência aos atingidos e ainda não há o levantamento de custos dos danos.

"Nós temos que ter a noção exata de quanto custa", disse Moisés. "Até que a gente tenha precisão em relação a esses valores para que não haja desvios e para que todas as coisas sejam feitas da melhor forma possível e com a maior transparência possível".

O presidente sobrevoou as cidades de Tijucas e Governador Celso Ramos, áreas que tiveram mais estragos com a tempestade.

De acordo com o Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Alexandre Lucas, os recursos serão anunciados após a avaliação dos danos.

"A Defesa Civil trabalha com a demanda dos municípios. Então é preciso agora fazer um rápido levantamento de danos para que a gente possa liberar os recursos a partir desse montante", afirmou.

O presidente era esperado para um pronunciamento após a reunião, mas retornou à Brasília sem dar entrevista aos jornalistas. Havia a expectativa de anúncio de apoio financeiro do governo federal para a reconstrução dos danos causados pelo ciclone.

O ciclone bomba atingiu a região Sul entre terça e quarta-feira (1º) e Santa Catarina foi o estado mais atingido.

Segundo a Defesa Civil estadual, nove pessoas morreram e duas seguem desaparecidas. Os ventos que atingiram a velocidade 134 km /h causaram mais de 1.600 ocorrências de estragos em 152 municípios catarinenses.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Médico que fez procedimento em MC Atrevida prestará depoimento nesta segunda-feira, diz advogado

Criança morre em acidente com carro dirigido por irmão menor de idade no interior de SP

Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro pede ao STF que não suspenda processo de impeachment de Witzel

Setor cultural: Liberação de R$ 3 bilhões da Lei Aldir Blanc será por meio de plataforma