Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Boris Johson recomenda vacina de Oxford durante reunião com Bolsonaro nos EUA

Premiê britânico ainda perguntou ao brasileiro se ele havia tomado a vacina contra Covid. Bolsonaro disse que não.

Bolsonaro e Johnson se reuniram em Nova York. (Foto: Reprodução/Flickr/Palácio do Planalto)

Por

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com o premiê britânico Boris Johnson na tarde desta segunda-feira (20) em Nova York, para onde foram líderes do mundo para participar da Assembleia Geral da ONU.

Em imagens distribuídas pela agência Reuters, é possível ver Johnson recomendando a vacina da AstraZeneca/Oxford, que é produzida também no Brasil em parceria com a Fiocruz.

"É uma ótima vacina. Obrigado, pessoal. Tomem vacinas da AstraZeneca!", diz ele ao lado de Bolsonaro, que é o único líder entres as maiores economias do planeta que declaradamente não tomou ainda imunizante contra a Covid-19.

Em outro momento, Johnson seguia falando de como a vacina de desenvolvimento britânico é boa. "Já tomei duas vezes", disse ele, questionando Bolsonaro se ele tinha tomado também, ao que o brasileiro responde que "ainda não".

Bolsonaro comenta que está com a imunidade contra Covid alta porque teve já teve o vírus.

O fato de não ter se vacinado contra Covid torna Bolsonaro uma exceção entre as lideranças mundiais e tem sido tema durante a viagem a Nova York já que na cidade americana as pessoas precisam apresentar comprovante de vacinação contra a Covid-19 para frequentar lugares fechados, como restaurantes, cinemas, teatros e academias.

Bolsonaro foi fotografado comendo pizza na rua na noite de domingo com outros integrantes de sua comitiva, como o presidente da Caixa, Pedro Guimarães; o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos; e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga; entre outros.

Ao comer na rua, a apresentação do comprovante não é necessária.

O presidente brasileiro já disse mais de uma vez que não tomou nenhum imunizante — e, por isso, pode ter dificuldades para frequentar lugares em Nova York.

Café da manhã no hotel e entrada pelos fundos

Na manhã desta segunda, Bolsonaro tomou café da manhã no hotel, em uma área reservada à comitiva brasileira. Havia uma placa informando que é obrigatória a apresentação do comprovante de vacinação no restaurante.

Sobre o fato de Bolsonaro divulgar que não foi vacinado, um gerente do restaurante, que não quis se identificar, disse que não iria cobrar o comprovante do presidente do Brasil. Questionado se a lei não valia para todos, o funcionário pediu a retirada da equipe da Globo do local.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

CPI da Câmara Municipal de São Paulo recebe denúncia de assédio sexual contra médicos da Prevent

Secretários de Guedes pedem demissão após manobra para abrir espaço no teto de gastos

Ao menos 16 tubarões foram vistos em Balneário Camboriú desde agosto

Governo de Rondônia proíbe uso da linguagem neutra em escolas públicas e privadas