Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Câmara voltará a adotar trabalho remoto por causa da ômicron, diz Lira

"Trabalho remoto até o Carnaval. Medida necessária até vencermos esta nova onda. Também vai nos ajudar na melhor aplicação dos recursos públicos", escreveu o presidente da Câmara.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), anunciou nesta segunda-feira (17) que a Casa legislativa vai voltar a adotar o trabalho remoto até o Carnaval, por causa do avanço da variante ômicron.

A Câmara está atualmente em recesso parlamentar. As atividades dos deputados federais deverão ser retomadas no dia 2 de fevereiro. Lira usou suas redes sociais para anunciar a medida, em momento em que o Brasil registra grande alta dos casos de infecção pelo coronavírus.

"Trabalho remoto até o Carnaval. Medida necessária até vencermos esta nova onda. Também vai nos ajudar na melhor aplicação dos recursos públicos", escreveu o presidente da Câmara, que afirmou que a economia se daria por causa do alto preço das passagens aéreas.

"Tarifas aéreas estão altíssimas e a flexibilidade nas remarcações só acontece quando é do interesse das companhias", completou.

O ato determinando o trabalho remoto deve ser publicado ainda nesta segunda-feira (17). Com o sistema remoto, os deputados participam das sessões fora do plenário, discursando por meio de uma conexão de vídeo. Os parlamentares também votam através do sistema remoto.

A Câmara dos Deputados havia retomado os trabalhos presenciais no fim de outubro do ano passado, com o avanço da vacinação contra a Covid-19 e a queda no número de casos confirmados. A Casa vinha funcionando, entre março de 2020 e outubro passado, de maneira híbrida, com atividades remotas e presenciais.

A presidência do Senado afirma que, inicialmente, vai manter o sistema semipresencial, mas que vai monitorar a evolução da nova onda da pandemia e que pode optar pelo modo de funcionamento totalmente remoto, se considerar necessário.
O Senado também adotou o trabalho remoto com a chegada da pandemia ao Brasil, em março de 2020.

Desde então, as atividades de praticamente todas as comissões ficaram suspensas e o plenário passou a funcionar de maneira remota.

Apenas a CPI da Covid passou a funcionar presencialmente, entre abril e outubro do ano passado. As atividades presenciais das demais comissões começaram a ser retomadas a partir de setembro, quando foi adotado o sistema semipresencial.

Desde o fim do ano passado, o Brasil passou a registrar um grande crescimento nos casos de infecção pelo novo coronavírus, em particular pela variante ômicron. E os números oficiais ainda podem ser subestimados. Pesquisa Datafolha mostrou que um em cada quatro brasileiros com 16 ou mais anos de idade diz ter recebido diagnóstico de Covid desde o início da pandemia, o que representa cerca de 42 milhões de pessoas infectadas. O número é quase o dobro do total de casos registrados oficialmente no país.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

STF julga constitucionalidade da Lei Seca e tolerância zero está no centro da discussão

Deolane Bezerra acumula carros de luxo que somam mais de R$ 3 milhões

Em quinta viagem oficial em sete dias, Bolsonaro vai a Sergipe

Ciclone com ventos de 100 km/h deve causar danos no Sul do país