Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Diante de críticas, Bolsonaro afirma que militares podem ajudar na vacinação no Brasil

O site divulgou pequenos trechos da fala de Bolsonaro, e neles o presidente não detalhou como seria essa ajuda dos militares.

Mais cedo nesta segunda, Bolsonaro afirmou que o Brasil está "dando certo", é um "exemplo" e que está na "vanguarda". (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — Diante das críticas ao governo federal pela gestão da crise sanitária e pelo ritmo lento de vacinação, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta segunda-feira (22) que militares poderão auxiliar na imunização da população.

"Vou hoje levar à Defesa a possibilidade de os batalhões nossos ajudarem na vacinação. Só lá embaixo, na Fiocruz [Fundação Oswaldo Cruz], são cinco milhões [de doses] por semana, já começamos a produção", declarou Bolsonaro a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada. A fala do mandatário foi transmitida por um site bolsonarista.

O site divulgou pequenos trechos da fala de Bolsonaro, e neles o presidente não detalhou como seria essa ajuda dos militares.

O presidente enfrenta forte desgaste pela resposta à pandemia, que está em seu momento mais crítico no Brasil. A última semana foi a mais letal da Covid-19 no Brasil, com o registro de 15.788 mortes pela doença. No domingo (21), a média móvel dos sete dias de óbitos pelo vírus chegou a 2.255, o 23º recorde seguido.

O pico da pandemia no Brasil e o ritmo lento da vacinação no país tiveram impacto na popularidade do governo. Pesquisa Datafolha apontou que 54% dos brasileiros veem a atuação de Bolsonaro no combate à pandemia e seus efeitos como ruim ou péssima. No levantamento anterior, 48% reprovavam o trabalho de Bolsonaro na pandemia.
Auxiliares passaram a defender uma repaginação do discurso de Bolsonaro, numa tentativa de reverter o aumento da rejeição ao presidente.

Bolsonaro passou a defender a ampla imunização da população, apesar de ter feito diversos questionamentos às vacinas e ataques à Coronavac – trunfo político de seu adversário, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

O presidente, porém, mantém as críticas a governadores e às medidas de isolamento social, e continua defendendo o uso de medicamentos sem eficácia para o tratamento da Covid-19.

Mais cedo nesta segunda, Bolsonaro afirmou que o Brasil está "dando certo", é um "exemplo" e que está na "vanguarda".

"Estamos dando certo, apesar de um problema gravíssimo que enfrentamos desde o ano passado", disse Bolsonaro em uma cerimônia com políticos e empresários amontoados no Palácio do Planalto.

"O Brasil vem dando exemplo. Somos um dos poucos países que está na vanguarda na busca de soluções".

Bolsonaro comemorou no domingo seu aniversário em frente ao Palácio da Alvorada, diante de centenas de apoiadores aglomerados.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Fragmento de mariposa é a causa das lesões de pele que provocam coceira em Pernambuco

Polícia Militar mata oito suspeitos de integrar quadrilha de novo cangaço

Pelé é internado para continuar tratamento de tumor do cólon em São Paulo

Vacina da Pfizer neutraliza ômicron com 3 doses, diz empresa