Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Veja vídeo

Menino diz em vídeo que foi vítima de racismo durante campeonato de futebol em Caldas Novas: 'Fecha o preto'

Caso foi registrado pela Polícia Militar. Treinador apontado como autor das ofensas diz que denúncia é uma inverdade.

Menino diz em vídeo que foi vítima de racismo durante campeonato de futebol em Caldas Novas, Goiás. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Por

Um menino de 11 anos denuncia que foi vítima de racismo durante um campeonato de futebol em Caldas Novas, no sul do estado. Luiz Eduardo conta que o treinador do time adversário se referia a ele como “preto”. Um vídeo mostra quando o menino sai de campo chorando e conta a situação.

“Ele falava assim toda hora: 'Fecha o preto, fecha o preto, fecha o preto aí'. Eu guardei para falar no final. Ele falou um monte de vezes”, disse o menino, chorando.

O caso aconteceu na última quarta-feira (16), durante a Caldas Cup. O técnico apontado como o autor das ofensas, Lázaro Caiana, afirmou que a denúncia é uma "inverdade".


A organização do evento publicou em uma rede social que repudia qualquer atitude racista ou discriminatória ocorrida dentro ou fora do evento. “Afirmamos que não pactuamos com qualquer atitude discriminatória que venha a ser cometida na competição, independente de quem venha cometer tal ato. A organização estará sempre presente para que os fatos sejam apurados pelas autoridades competentes para que a diferença de cor seja só na camisa”, diz o comunicado.

Adriano Santos, diretor de relacionamento do Uberlândia Academy, time onde o menino joga, disse que a criança saiu chorando do campo mesmo após a vitória sobre o adversário.

“Alguns pais viram [ o menino chorando] e foram ver o que estava acontecendo. Ele, então, disse que tinha sido chamado de preto e apontou para o treinador adversário, falando que tinha sido ele”, contou o diretor do time.

O profissional afirmou que registrou o caso junto à Polícia Militar e tentou um pedido de desculpas e retratação por parte do treinador do time adversário, o que não aconteceu. “Eu liguei para os pais dele, que estavam em Minas Gerais e estão vindo ficar com ele. Também vamos à delegacia”, afirmou.

O técnico suspeito de ser o autor das ofensas disse que foi à delegacia para registrar o que realmente aconteceu sobre o caso. "Ninguém da comissão técnica ou atleta do nosso time falou nada com nenhum atleta da equipe adversária ou comissão técnica. Nada foi relatado em súmula pelos árbitros e pelo coordenador", disse.

Lázaro afirmou que, na realidade, ele que foi vítima de injúrias raciais vindas do clube adversário e que o vídeo foi postado como forma de prejudicar sua imagem e a do clube.

A Liga Desportiva Região das Águas Thermais informou que, diante da denúncia feita, suspendeu provisoriamente o treinador da competição, até que sejam esclarecidos os fatos perante a lei.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Bolsonaro sanciona lei que estabelece a autonomia do Banco Central

Bolsonaro entrega MP para privatização da Eletrobras e contas de luz podem ficar mais caras

Bolsonaro reluta em antecipar 13º de aposentados sem aprovação de Orçamento no Congresso

STF arquiva inquérito contra senador Humberto Costa