Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

CPI Covid

Ministro da CGU afirma que não houve superfaturamento na compra da Covaxin porque não teve pagamento

"Eu afirmo ao senhor que não houve superfaturamento no contrato", disse o ministro da CGU, Wagner Rosário.

O ministro da CGU (Controladoria Geral da União), Wagner Rosário (Foto: Pedro França/Agência Senado)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — Em depoimento à CPI da Covid, o ministro da CGU (Controladoria Geral da União), Wagner Rosário, afirmou nesta terça-feira (21) que não houve "superfaturamento" na compra da vacina indiana Covaxin, porque não se chegou à fase de pagamento.

"Superfaturamento é um ato que acontece após o pagamento e o desembolso financeiro acima do valor de mercado. Esse caso não teve a contratação efetivamente e por óbvio não houve pagamento. Então, assim, eu afirmo ao senhor que não houve superfaturamento no contrato", afirmou.

O ministro ainda leu trecho de relatório da CGU, que recomendou a suspensão do contrato e não seu cancelamento, no qual se afirma que o preço cobrado do Ministério da Saúde, no contrato intermediado pela Precisa Medicamentos, é inferior ao cobrado pela indiana Bharat Biotech no mercado internacional.

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) rebateu a declaração, afirmando que documentos da própria CGU mostra que o sobrepreço era uma preocupação dos auditores da Controladoria.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Auxílio Brasil deve beneficiar 17 milhões de pessoas, diz ministro

Homem leva mata-leão após xingamento homofóbico em Santa Catarina

Qualidade de vida do brasileiro piorou durante a pandemia, diz pesquisa

Motorista de aplicativo é espancado após briga com cliente