Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

REAGE

Passeata Virtual contra violência sexual de crianças e adolescentes acontece em 18 de maio; Confira como participar

Passeata virtual busca romper o silêncio da violência sexual contra crianças e adolescentes, e levar mobilização para os candidatos a presidência da República.

Por

Para chamar atenção e romper com o padrão do silêncio, no Dia Nacional de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, 18 de maio, haverá uma passeata virtual para denunciar uma triste realidade. No Brasil, mais de 60% de todos os estupros são contra menores de 13 anos de idade, 67% de todas as violências sexuais acontecem dentro da própria casa da criança e 86% praticados por pessoas da própria família ou bem próxima ao convívio. 

"Isso precisa ser denunciado, enxergado e enfrentado em nosso país. É isso que iremos fazer com a passeata, romper com esse padrão de silêncio para acabar com essa violência. Com essa mobilização, iremos pressionar os candidatos a presidência da República para que apresentem soluções para os dados alarmantes desses crimes no país", alertou a advogada, professora de direito e diretora do Instituto Liberta, Luciana Temer. 

A professora doutora em direito e diretora presidente do Instituto Liberta encabeça um levante inédito com o objetivo de romper o silêncio em torno deste tema. Por meio do site e das redes sociais, o Instituto convida homens e mulheres que sofreram algum tipo de abuso antes dos 18 anos a gravar um vídeo falando a seguinte frase: “A violência contra crianças e  adolescentes é uma realidade. Eu já fui vítima. E agora você sabe”

Recentemente ela expôs para todo o Brasil episódios em que foi vítima de violência sexual. Primeiro, aos 13 anos quando retornava da escola, e depois aos 27 anos durante um assalto. Luciana, que é filha do ex-presidente Michel Temer, assumiu a direção do Instituto Liberta após convite do filantropo Elie Horn. O principal objetivo do Instituto Liberta é o enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes em todo o Brasil.

Em entrevista ao ClickPB, Luciana Temer comentou que todas as pessoas participantes da passeata virtual têm um principal objetivo no evento, que é "mostrar o tamanho dessa violência no Brasil, que é gigante, chamara atenção para essa violência rompendo um padrão de violência e constrangimento que a gente não pode mais aceitar. Porque esse silêncio faz com que essa violência continue".

A iniciativa #AGORAVCSABE aparece como tentativa de quebrar o silêncio dos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes e furar a bolha, chamando atenção para situações que são reais e recorrentes.

Para participar da campanha e da passeata virtual, o Instituto Liberta convida que as pessoas acessem o site agoravocesabe.com.br, entendam o que é ser vítima de violência sexual e, se tiverem sido vítimas, gravem o vídeo com as frases padronizadas na plataforma: "Violência Sexual Contra crianças e adolescentes é uma realidade. Eu fui vítima. E agora você sabe."     

Os vídeos serão publicados todos juntos, na passeata em 18 de maio, e sem qualquer nome que identifique seus autores.

DESCUBRA SE VOCÊ JÁ FOI VÍTIMA

Não tem certeza se o que você sofreu na infância ou adolescência configura como violência sexual? Veja quais são alguns dos comportamentos que englobam este tipo de crime, segundo o site #AgoraVcSabe:
-Algum adulto te tocou ou acariciou nas partes íntimas?
-Te mostrou propositadamente o órgão genital?
-Se masturbou na sua frente?
-Te deu alguma "recompensa" por um ato sexual?
-E isso te provocou ou hoje te provoca dor, vergonha,
constrangimento ou medo?
Se você viveu alguma das situações acima, você foi vítima, mesmo que tenha ocorrido dentro de casa, na rua ou, inclusive, virtualmente. 

#AGORAVOCESABE - como funciona?

Ao entrar no site, você terá três opções: entender se já foi vítima, gravar o seu vídeo ou somente compartilhar o levante. Ao apertar gravar, você deverá aceitar os termos de uso da imagem e declarar ser maior de dezoito anos. Em seguida uma mensagem vai solicitar que posicione o seu rosto no círculo que aparece na tela e, em seguida, você deve ler a mensagem que aparece na tela do computador ou celular: “Violência sexual contra crianças e adolescentes é uma realidade. Eu fui vítima. E agora você sabe”. O vídeo gravado poderá ser assistido por você e regravado quantas vezes quiser, pois só será enviado quando clicar na tecla enviar. A plataforma manterá os vídeos salvos com segurança e no dia 18 de maio sua voz e imagem sairão na passeata juntamente com muitas outras. Você nunca estará sozinha (o) na tela.

SAIBA MAIS:

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Pacheco adia votação de PEC que amplia Auxílio Brasil, vale-gás e cria benefício para caminhoneiros

Aneel realiza nesta quinta-feira leilão de transmissão de energia

Pedro Guimarães oficializa pedido de demissão; leia a íntegra da carta

Adolescente é apreendido suspeito de esfaquear e jogar mãe em poço após vítima negar sexo, diz polícia