Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Prefeitura do Rio amplia exigência de comprovante de vacina contra Covid

"Tem que ver a praticidade e efetividade de algumas medidas. Shopping é muito difícil fazer o controle", disse o prefeito.

O decreto anterior, publicado no dia 27 de agosto, não incluía essas atividades na lista daquelas que deveriam exigir o comprovante. (Foto: Reprodução)

Por

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) — A gestão do prefeito Eduardo Paes (PSD) ampliou, nesta quinta-feira (2), o grupo de atividades no Rio de de Janeiro que devem exigir o comprovante de vacinação contra Covid-19 para a entrada dos clientes.

Em decreto, a prefeitura estendeu a medida a hotéis, shoppings, serviços de transporte de passageiros, como táxis e carros de aplicativo, e bares e lanchonetes que queiram acomodar os clientes em área interna ou coberta.

No entanto, horas depois de o decreto ter sido publicado, Paes disse que foi um exagero cobrar o comprovante para entrar em táxis, carros de aplicativo e shoppings. Por isso, afirmou que iria rever essas regras nesta sexta (3).

"Tem que ver a praticidade e efetividade de algumas medidas. Shopping é muito difícil fazer o controle", disse o prefeito. "No caso dos táxis e shoppings, a gente vai recuar amanhã. Acho que houve um certo exagero."

Para os demais casos, a regra continua valendo.

No caso de hotéis e de imóveis alugados por temporada, as reservas e contratos só poderão ser firmados depois que todos os hóspedes ou inquilinos tenham apresentado o comprovante. A medida prevê ainda a aplicação de multas caso os estabelecimentos descumpram a determinação.

O decreto anterior, publicado no dia 27 de agosto, não incluía essas atividades na lista daquelas que deveriam exigir o comprovante. Também constam da relação estabelecimentos como academias, cinemas, teatros e estádios, que já apareciam no decreto anterior.

Daniel Soranz, secretário de saúde da capital, disse que a determinação é uma forma de estimular a vacinação dos cariocas e aumentar a proteção contra a ômicron.

"A gente está muito preocupado com a nova variante. A princípio, ela responde bem à vacinação. Ela protege contra a variante. Não existe evidência do contrário. E a principal estratégia de todos os países e também da cidade do Rio é exigir o passaporte da vacina", disse ele, em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo.

A prefeitura amplia a exigência do passaporte vacinal um dia após ter anunciado o primeiro caso suspeito da ômicron. As autoridades investigam se uma mulher de 29 anos que chegou de Joanesburgo, na África do Sul, foi infectada pela nova cepa, classificada como de risco elevado pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

Soranz diz que o primeiro teste de Covid-19 ao qual a mulher se submeteu, quando chegou ao país, no último dia 21, deu negativo. No dia 29, porém, ela fez um novo teste por causa do trabalho e o resultado foi positivo.

"Os contactantes da paciente também estão sendo monitorados, assim como seu companheiro de viagem, sem outros casos positivos até o momento", afirma em nota a Secretaria Municipal de Saúde. O resultado dos testes deve ser divulgado ainda nesta semana.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

É hoje! ClickPB transmite em tempo real o primeiro debate da TV Arapuan com os sete candidatos ao Governo da Paraíba

Coroinha é esfaqueado dentro de igreja no norte da Bahia

Michelle Bolsonaro: Planalto foi consagrado a demônios e hoje, a Jesus

Fãs registram confusão em show da dupla Henrique e Juliano em Sorocaba