Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Cinema

Editoria sobre Cinema ir para editoria →

Cinema

Filme brasileiro '33421' é premiado em competição de curtas-metragens em Cannes

E você pode ver o filme ganhador da categoria Member Awards neste player, disponível por 48 horas.

Apoiada pela Semana da Crítica, mostra paralela do Festival de Cannes dedicada a novos cineastas, a Nespresso Talents recebeu quase mil trabalhos de 60 países diferentes. (Foto: Reprodução)

Por

LOS ANGELES, EUA (FOLHAPRESS) — O curta "33421", do paulista Bruno Martins, de 42 anos, é um dos vencedores do Nespresso Talents 2021 em competição de curtas que acontece paralelamente ao Festival de Cannes e que teve sua premiação nesta sexta (9). E você pode ver o filme ganhador da categoria Member Awards neste player, disponível por 48 horas.

Apoiada pela Semana da Crítica, mostra paralela do Festival de Cannes dedicada a novos cineastas, a Nespresso Talents recebeu quase mil trabalhos de 60 países diferentes. O brasileiro "33421" foi um dos 15 selecionados para a etapa final.

O filme de Martins tem a duração de três minutos e um formato vertical, regras estabelecidas pelo concurso. Ele resume o trabalho de Hélio da Silva, gerente comercial que, por vontade própria, em 2003, começou a plantar árvores à beira do rio Tiquatira, na zona leste de São Paulo, e terminou criando o primeiro parque linear da cidade, hoje com 33.421 árvores, razão do título do curta.

"Estava vendo o Globo Repórter e um dos blocos era sobre a história de Hélio", afirma o diretor sobre seu contato com o personagem, em abril passado.

"Fiquei impressionado com a dimensão do que ele havia feito. Entrei em contato em dois dias e ele aceitou conversar. Fizemos tudo em um sábado, sem orçamento."

Formado em publicidade pela Anhembi Morumbi, em 2005, e ex-estudante da Academia Internacional de Cinema, Bruno Martins tinha algumas cenas elaboradas antes de filmar no local da plantação, como a cena aérea com um drone e uma tomada quase subterrânea.

"Mas a grande dificuldade de um filme de três minutos é o desapego", conta ele, que teve 85 minutos de entrevista com Hélio da Silva. "Ele é muito carismático e adora contar a história."

Entre a concepção da ideia e a entrega do curta para a competição, Martins levou uma semana na produção. Em junho, recebeu a notícia de que era um dos finalistas mundiais e que teria a viagem e estada pagas para fazer parte do Festival de Cannes, que começou na terça (6).

Por causa da quarentena obrigatória de dez dias na França para quem chega do Brasil, a presença do diretor brasileiro ficou inviável.

"Eles se esforçaram, mas não poderia ficar dez dias trancado num quarto de hotel para participar de um evento e voltar", diz o cineasta, que sonhava em passar alguns dias vendo filmes da Semana da Crítica. "Fiquei decepcionado. Tomei minha vacina nesta semana, mas não era o momento."

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Ryan Gosling interpretará Ken ao lado de Margot Robbie em filme da Barbie

Alec Baldwin cita choque e tristeza após matar colega em set

'Meu coração está partido', diz Alec Baldwin sobre tiro em set

Diretora de fotografia morta com tiro em set de filmagem foi apontada como estrela em ascensão