Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Cinema

Editoria sobre Cinema ir para editoria →

Hollywood

Johnny Depp afirma estar sofrendo boicote de Hollywood

Segundo a Variety, o ator tocou no assunto ao falar sobre o lançamento de "Minamata", ainda incerto.

"Alguns filmes tocam as pessoas e isso afeta aqueles em' Minamata' e pessoas que vivenciam coisas semelhantes", completou Depp. (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — O ator Johnny Depp, 58, afirmou estar sendo boicotado por Hollywood após sua demissão da franquia "Animais Fantásticos e Onde Habitam". Segundo a Variety, o ator tocou no assunto ao falar sobre o lançamento de "Minamata", ainda incerto.

A produção trata sobre um desastre ambiental ocorrido no Japão e ainda não estreou nos Estados Unidos. Depp criticou a demora e afirmou que o longa enfrenta "cinco surreais anos" após as acusações de agressão doméstica de Amber Heard, 35, sua ex-mulher.

"Isso afeta aqueles retratados em Minamata e as pessoas que passaram por experiências semelhantes. E tudo isso por causa de um boicote de Hollywood contra mim? Um homem, um ator em uma situação desagradável nos últimos anos?", disse em entrevista ao Sunday Times.

Recentemente, Andrew Levitas, diretor de "Minamata", acusou a MGM de "enterrar" a divulgação do filme devido à presença do ator, como foi divulgado pelo site Deadline.

"Alguns filmes tocam as pessoas e isso afeta aqueles em' Minamata' e pessoas que vivenciam coisas semelhantes", completou Depp.

Em seguida, ele classificou a situação do atraso como "boicote de Hollywood a mim".

No longa, o ator faz o papel do fotojornalista americano W Eugene Smith, que expôs os efeitos do envenenamento por mercúrio nas comunidades costeiras japonesas na década de 1970.

Ele ainda disse que está "caminhando para onde eu preciso para trazer as coisas à luz", e que sua queda em Hollywood foi um "absurdo da matemática da mídia". 

"Tudo o que eu passei, eu passei. Mas, no final das contas, esta área particular da minha vida tem sido tão absurda", completou.

Depp ainda agradeceu aos fãs que continuam dando apoio mesmo após as acusações de Heard. "Eles sempre foram meus empregadores. Todos são nossos empregadores. Eles compram ingressos. Eles enriqueceram todos aqueles estúdios, mas eles (os estúdios) se esqueceram disso há muito tempo. Certamente não esqueci."

Na época do divórcio de Depp, Heard disse que o ator usava drogas e se tornava agressivo. Ela afirmou que ele a agredia verbal e fisicamente. Em defesa, Depp a acusa de difamação e pede uma bolada na Justiça. Em novembro de 2020, Johnny Depp perdeu processo que movia contra o tabloide britânico The Sun por difamação.

Com base nas declarações de Heard, em 2018, o jornal mencionou 14 episódios de violência doméstica que o ator desmentiu veementemente. Depp processou o veículo por tê-lo taxado como "espancador de mulheres".

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Equipe de 'Rust' usou armas com munição de verdade em 'brincadeira' horas antes de tiro acidental em diretora

Arma disparada por Alec Baldwin era usada para tiro ao alvo fora do set

Alec Baldwin decide cancelar outros projetos após morte em set de filmagem

Ryan Gosling interpretará Ken ao lado de Margot Robbie em filme da Barbie