Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Cinema

Editoria sobre Cinema ir para editoria →

Hollywood

Peter Dinklage comenta nanismo após polêmica com filme de Leandro Hassum

"É uma questão muito complicada, porque nós atores precisamos ter muito cuidado para não ofender as pessoas", disse o ator.

No novo filme, que deve chegar aos cinemas brasileiros no início do ano que vem, Dinklage assume o papel de Cyrano de Bergerac, protagonista do clássico escrito por Edmond Rostand. (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — Leandro Hassum entrou na mira das redes sociais nos últimos dias ao lançar "Amor Sem Medida", filme da Netflix em que ele teve sua estatura diminuída digitalmente para interpretar uma pessoa com nanismo, numa trama que vem sendo acusada de promover capacitismo – discriminação contra pessoas com deficiência.

Participando de uma série de eventos para promover seu novo filme, "Cyrano", Peter Dinklage, ator com nanismo que ganhou fama ao interpretar Tyrion Lannister na série "Game of Thrones", mostrou surpresa ao saber da existência de "Amor Sem Medida" e condenou o que vê como uma busca por lucro que, inúmeras vezes, ofende minorias.

"Eu vejo filmes do passado, e, infelizmente, se algo faz dinheiro, vai ser repetido –estamos falando de uma indústria, afinal", diz ele sobre os retratos ofensivos destinados a pessoas com deficiência nas telas.

Para ele, por anos houve um interesse de Hollywood exclusivamente por mocinhos e mocinhas que se encaixassem num padrão de beleza. Agora, apesar de casos como o de "Amor Sem Medida", essa tendência está mudando e a indústria tem, mesmo que lentamente, buscado maior diversidade.

"Desde o nascimento do cinema, histórias românticas, pelo menos nos Estados Unidos, foram monopolizadas por pessoas brancas e bonitas. Agora nós estamos vivendo em tempos muito interessantes, porque esse não é mais o caso, o mundo está muito mais complexo e nós precisamos ouvir todas as histórias de amor", afirma.

"As pessoas bonitas não monopolizaram o amor em si. O amor é universal. Eu sei que gostamos de ir ao cinema para ver gente bonita, mas há muitas outras histórias por aí e elas precisam ser contadas. Eu acho que 'Cyrano' é uma delas. Mas é uma questão muito complicada, porque nós atores precisamos ter muito cuidado para não ofender as pessoas, e ao mesmo tempo nosso trabalho é basicamente interpretar pessoas que não têm nada a ver com a gente. Então isso gera um impasse complicado."

No novo filme, que deve chegar aos cinemas brasileiros no início do ano que vem, Dinklage assume o papel de Cyrano de Bergerac, protagonista do clássico escrito por Edmond Rostand. Originalmente, e em quase todas as montagens da peça, o personagem é descrito como um sujeito de nariz grande, o que é motivo de inadequação e frustração amorosa.

Na versão musical dirigida agora por Joe Wright, inspirada numa montagem teatral estrelada pelo próprio Dinklage, as raízes para essa frustração foram deslocadas para a baixa estatura de Cyrano, o que o ator diz ter ajudado a tornar o herói romântico mais real e relacionável.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Tom Cruise diz que jamais deixaria 'Top Gun' estrear no streaming em Cannes

Amber Heard diz que Johnny Depp a 'enforcou' com camisa durante Lua de Mel

Teatro Municipal de Campina Grande recebe Circuito Audiovisual Secult com mais quatro filmes de cineastas campinenses

Cineasta Breno Silveira morre de infarto aos 58 anos durante filmagem em Pernambuco