Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Economia

Editoria sobre Economia ir para editoria →

Economia

Auxílio emergencial não contemplará 5,4 milhões de cadastrados no Bolsa Família

Estas famílias voltam a ter o valor normal do programa que é, em média, de R$ 306,67.

Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300), sendo que a renda por pessoa deve ser de até meio salário mínimo (R$ 550). (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — O Ministério da Cidadania informou que 5,4 milhões de cadastrados no Bolsa Família não irão receber o auxílio emergencial 2021 neste mês porque deixaram de ser elegíveis para o benefício criado na pandemia. Estas famílias voltam a ter o valor normal do programa que é, em média, de R$ 306,67.

Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300), sendo que a renda por pessoa deve ser de até meio salário mínimo (R$ 550).

Para quem recebe o Bolsa Família, vale a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social – que é de R$ 233,94, em média –, seja o auxílio emergencial.

Em setembro, 9,45 milhões de trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família recebem o auxílio emergencial. Para este grupo, o valor total da folha de pagamentos é de R$ 2,83 bilhões, segundo o governo federal.

O ministério afirma que mais de 50% dos beneficiários são mulheres chefes de família, cuja parcela mensal é de R$ 375. Os contemplados com o valor padrão de R$ 250 são 33,4% dos beneficiários, enquanto pessoas que moram sozinhas e recebem R$ 150 representam 15,7% dos pagamentos.

Quem está cadastrado no Bolsa Família e atende aos requisitos para ter o auxílio emergencial começou a receber a sexta parcela – a penúltima desta etapa do programa – nesta sexta-feira (17). A grana está liberada para as pessoas com NIS (Número de Identificação Social) final 1.

Na segunda-feira (20), é a vez dos beneficiários do programa social com NIS final 2. Os pagamentos seguem até 30 de setembro, para NIS com final zero. A sétima e última parcela do auxílio criado na pandemia começa a ser paga em 18 de outubro. Veja aqui o calendário completo até novembro.

Para o público em geral que tem direito ao auxílio, que são os informais inscritos no CadÚnico, o depósito da grana na poupança digital da Caixa começa na terça-feira (21), obedecendo a ordem do mês de nascimento.

A primeira cota é liberada para nascidos em janeiro; o depósito segue conforme o mês de aniversário. O pagamento termina em 3 de outubro para os nascidos em dezembro.

Os valores estarão disponíveis para saque a partir de 4 de outubro, seguindo a mesma ordem de liberação. Saiba como consultar as parcelas do auxílio emergencial 2021.

A Dataprev (empresa de tecnologia do governo federal) faz um pente-fino mensal para saber se as pessoas cadastradas no auxílio emergencial ainda atendem aos requisitos e, portanto, seguem com direito às cotas finais do benefício federal.

Para saber se o trabalhador receberá a sexta e a sétima parcelas, é necessário consultar o site da Dataprev ou este link do Ministério da Cidadania.

Questionado pela reportagem, o Ministério da Cidadania não informou o número de pessoas cadastradas no CadÚnico que irão receber o auxílio a partir de terça-feira.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em junho

Feirinha da Economia Solidária movimenta artesanato local a partir desta quarta-feira em João Pessoa

Mercado prevê que taxa básica de juros feche o ano em 8,75%

Governo da Paraíba paga salários de outubro dos servidores nesta quinta e sexta-feira