Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Economia

Editoria sobre Economia ir para editoria →

Economia

Dólar sobe nesta sexta-feira e fecha a R$ 5,60

Moeda norte-americana avançou 1,67%, cotada a R$ 5,6047. Na semana, alta foi de 4,03%.

Notas de dólar. (Foto: Gary Cameron/Reuters)

Por

O dólar fechou em alta nesta sexta-feira (26) e subiu ao patamar de R$ 5,60, com a redução do apetite do investidor a ativos de mercados emergentes.

A moeda norte-americana subiu 1,67%, cotada a R$ 5,6047. É o maior patamar de fechamento desde 4 de novembro do ano passado (R$ 5,6543). Na semana, o dólar avançou 4,03%. Veja mais cotações.

O Banco Central voltou ao mercado nesta sexta com um leilão de venda de moeda spot para tentar conter a alta da moeda.

Nem os dois leilões de moeda realizados pelo Banco Central conseguiram conter o ímpeto de alta da moeda. Na primeira operação, foram vendidos US$ 740 milhões, e na segunda, mas US$ 805 milhões. Na véspera, o BC também fez dois leilões de dólar à vista, injetando no mercado um total de US$ 1,535 bilhão.

Em fevereiro, a moeda norte-americana acumulou alta de 2,45%. No ano, tem valorização de 8,05% ante o real.

Cenário

A alta do dólar nesta semana foi puxada pelas perspectivas de aumento da inflação nos Estados Unidos e escalada das taxas de juros de títulos soberanos da maior economia do mundo (Treasuries).

Por aqui, permanecem os receios de maior risco fiscal e político após as turbulências provocadas pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de trocar o comando da Petrobras.

No radar dos investidores também está as discussões no Congresso sobre a volta do Auxílio Emergencial. O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, afirmou nesta quinta-feira que um eventual fatiamento da chamada PEC emergencial, separando o auxílio emergencial das contrapartidas de corte de gastos exigidas, é "pior para todos".

Mais cedo, o IBGE divulgou que desemprego no Brasil teve a terceira queda seguida e ficou em 13,9% no trimestre encerrado em dezembro. No entanto, 13,9 milhões de brasileiros ainda estavam desempregados. Já a taxa média de desemprego no ano de 2020 foi de 13,5%, a maior da série iniciada em 2012. Em 2019, foi de 11,9%.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Edital do Programa de Habilitação Social é publicado e tem 5 mil vagas na Paraíba

Caixa não subirá juros de financiamento imobiliário mesmo com alta da Selic, diz Guimarães

Custo da construção civil na Paraíba chega a R$ 1,3 mil e acumula quarta maior alta do país em 12 meses, em março

Informática, eletrônicos e veículos estão entre as indústrias com mais dificuldade de atender clientes