Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Economia

Editoria sobre Economia ir para editoria →

Economia

Impacto do isolamento social na economia caiu pela metade, diz presidente do Banco Central

Segundo o titular do BC, o distanciamento social tem sido cada vez menos efetivo ao longo do tempo.

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) — O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta terça-feira (8) que a economia mundial se adaptou à pandemia de Covid-19 e mostrou, em sua apresentação, que o efeito do isolamento social na atividade econômica caiu pela metade recentemente.

Segundo o titular do BC, o distanciamento social tem sido cada vez menos efetivo ao longo do tempo.

"Quando se repete o distanciamento social na mesma área, cada um que se segue é menos efetivo por razões que não vou me aprofundar", disse em evento virtual promovido pelo J.P. Morgan.

Em sua apresentação em inglês, Campos Neto mostrou um gráfico que relacionava o percentual de mobilidade calculado pelo Google e o desempenho do setor de serviços com o título "Economias se adaptaram: o impacto da mobilidade na atividade caiu pela metade no período recente", em tradução livre.

"Em diferentes ondas [da pandemia] a atividade tem reagido cada vez melhor, a economia de alguma forma se ajustou", afirmou. Para ele, isso ocorreu em decorrência do alongamento da crise sanitária e pela mudança de comportamento.

Campos Neto ressaltou que a economia brasileira está próxima de retornar aos níveis pré-pandemia. "Houve nas últimas três semanas uma série de revisões positivas nas expectativas para o PIB [Produto Interno Bruto] para 2021 depois da divulgação do número do primeiro trimestre", destacou.

Sobre inflação de 2021, ele também falou sobre as revisões para cima do mercado para o índice de preços. "Temos choques mais recentes, como aumento do preço da energia", disse.

O presidente do BC reafirmou que se trata de um movimento temporário.

"Ainda acreditamos que se trata de um choque temporário. Os preços de commodities já se estabilizaram, algumas inclusive estão abaixo da margem", avaliou.

Campos Neto frisou que o avanço da vacinação deverá levar à maior reabertura da economia no segundo semestre.

Em sua avaliação, há uma demanda reprimida por consumo de bens e serviços.

"Parte do setor de serviços está funcionando parcialmente. Com a reabertura total, a questão é se teremos euforia, com as pessoas consumindo porque havia demanda reprimida", disse.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Auxílio Brasil: MP não garante retroativo de R$ 400 de novembro, nem valor extra para 2022

Vale-gás do governo deve ser menor do que o esperado, de R$ 48

Comissão do Senado aprova projeto que cria nova política de preços para combustíveis

Empregadores têm até essa terça-feira para quitar parcelas suspensas do FGTS