Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Economia

Editoria sobre Economia ir para editoria →

ESTA SEMANA

Queda nas bolsas de valores deram prejuízo de US$2 bi à Eike Batista

Por

Eike Batista pode ter deixado de ser o oitavo homem mais rico do mundo depois de sofrer um prejuízo em torno de US$ 2 bilhões nesta quinta-feira, quando suas empresas lideraram o forte movimento de baixa da Bovespa.

O grupo EBX -- que atua principalmente nas áreas de petróleo e gás, mineração e infraestrutura, com um valor de mercado de US$ 31 bilhões, mas praticamente sem faturamento -- registrou uma perda de cerca de 9% no seu valor.

Eike detém mais de dois terços das ações do grupo. Agora, a participação dele vale cerca de US$ 19,2 bilhões. Na lista de 2011 dos maiores bilionários do mundo, feita pela revista Forbes, Eike Batista -- cujas empresas sempre têm nomes terminados em X -- ocupava o oitavo lugar, com uma fortuna de US$ 30 bilhões.

Num dia de forte queda na Bolsa paulista, o maior declínio foi da mineradora MMX, cujas ações se desvalorizaram em 16%, o que significou uma fuga de R$ 725 milhões do seu valor de mercado. Eike tem 32,2% da companhia.

A OGX Petróleo e Gás teve queda de 8,33%, o que significa uma redução e R$ 3,23 bilhões no seu valor de mercado -- ou quase metade dos R$ 6,7 bilhões que Eike obteve na oferta pública inicial de ações da companhia, em 2008. Ele possui uma participação de 61,2% da empresa.

A LLX, de logística, que desenvolve dois grandes projetos portuários no Estado do Rio, teve queda de 13,2%, perdendo R$ 367 milhões do seu valor de mercado. O estaleiro OSX registrou queda de 10,9% (R$ 426 milhões), e a elétrica MPX caiu 8% (R$ 403 milhões).

Todas essas ações tiveram queda superior à do índice Ibovespa, que fechou em baixa de 5,7%.

ESTRANGEIROS

As cinco empresas de capital aberto do conglomerado EBX estavam particularmente vulneráveis porque haviam atraído um grande número de investidores estrangeiros, os quais na quinta-feira fugiram em debandada dos mercados emergentes, segundo Lucas Brendler, analista da Geração Futuro.

"Empresas que estão em uma fase de pré-desenvolvimento são as que acabam sendo mais afetadas nessas situações", disse Brendler. Ele acrescentou que essas empresas também têm condições de recuperarem com mais rapidez do que as companhias maiores.

Críticos frequentemente questionam o valor elevado das ações das empresas de Eike. A OGX, que ainda nem começou a produzir petróleo, chegou a alcançar valor de mercado equivalente ao da espanhola Repsol, uma empresa consolidada e com atuação global. A OGX diz que pretende extrair 1,4 milhão de barris diários de petróleo e gás equivalente no Brasil a partir de 2019.

A EBX não se manifestou de imediato sobre a queda no valor das suas ações.

Na lista de 2011 dos maiores bilionários do mundo, feita pela revista Forbes, Eike Batista -- cujas empresas sempre têm nomes terminados em X -- ocupava o oitavo lugar, com uma fortuna de US$ 30 bilhões.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Auxílio Brasil: MP não garante retroativo de R$ 400 de novembro, nem valor extra para 2022

Vale-gás do governo deve ser menor do que o esperado, de R$ 48

Comissão do Senado aprova projeto que cria nova política de preços para combustíveis

Empregadores têm até essa terça-feira para quitar parcelas suspensas do FGTS