Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Economia

Editoria sobre Economia ir para editoria →

Economia

"Taxar fortunas reduz desigualdade, mas empobrece ricos", diz dono da Riachuelo

"Queremos lutar contra a desigualdade ou contra a pobreza? Esse imposto consegue reduzir desigualdade, mas pela via não inteligente: expulsando ou empobrecendo os ricos", analisou.

Satisfeito com os acenos do governo na reforma tributária, Flávio Rocha chamou a tributação da folha de salário de "imposto do desemprego". (Foto: Reprodução)

Por

O empresário Flavio Rocha, dono da Riachuelo, afirmou ser contra a taxação de grandes fortunas no Brasil. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o executivo insistiu na ideia da desoneração na folha salarial para solucionar a questão tributária. 

"Queremos lutar contra a desigualdade ou contra a pobreza? Esse imposto consegue reduzir desigualdade, mas pela via não inteligente: expulsando ou empobrecendo os ricos", analisou.

Satisfeito com os acenos do governo na reforma tributária, Flávio Rocha chamou a tributação da folha de salário de "imposto do desemprego".

"O Brasil está nas maiores cargas tributárias do mundo da economia formal, porque quando você considera essa carga média de 35% que não incide sobre os 100% da economia, mas só sobre o Brasil formal, o tributável, você vai ver que está extraindo do tributável algo próximo dos 50%, coisa que não tem paralelo no mundo", disse o executivo.

O dono da Riachuelo justificou ser contra a taxação de grandes fortunas classificando como "desastrosa" a política semelhante adotada pela França durante o governo de François Hollande.

"Na França, todo mundo mudou para a Bélgica, para a Inglaterra. E o mundo está cada vez mais digital. Você pode exercer a mesma função remotamente. As pessoas estão com mais mobilidade. A redução de imposto de renda gera mais investimento, aumento da demanda por mão de obra e, aí sim, resolve a desigualdade pela via inteligente, que é gerando renda para a base da pirâmide. Se desigualdade fosse o problema, tinha que dar um troféu para a Venezuela, que expulsou as fortunas para Miami ou quebrou quem insistiu em ficar", afirmou.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Auxílio emergencial: nascidos em janeiro recebem 6ª parcela

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 8,35%

Para 69% dos brasileiros, situação econômica do país piorou, diz Datafolha

Aumento do IOF começa a valer a partir desta segunda-feira