Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Mundo

Editoria sobre Mundo ir para editoria →

Veja vídeo

Alemães quebram recorde e cruzam corda-bamba de 2.000 metros sobre desfiladeiro na Lapônia

Os quatro equilibristas precisaram enfrentar uma altura de 600 metros ao caminhar entre duas montanhas.

Por

Quatro equilibristas da Alemanha quebraram, no fim de semana, um recorde ao cruzar uma corda-bamba de 2.000 metros sobre um desfiladeiro da Lapônia sueca – que faz divisa com a Noruega.

Para cumprir com o desafio, todos eles precisaram encaram uma altura de cerca de 600 metros e seguir pela estrutura ligada no topo de duas montanhas da região.

O primeiro a cruzar a corda foi Quirin Herterich, que disse em entrevista à agência de notícias Reuters que o truque foi ir "bem devagar e tranquilo".

David Sjostrom – que não cruzou, mas foi responsável por garantir a segurança de toda a estrutura – disse que a maior dificuldade está no vento, que atinge com força essa área aberta.

Seguiram ainda neste empreitada: Lukas Irmler, Ruben Langer e Friedi Kuehne. Todos chegaram ao outro lado em segurança.

Para montar tudo, eles precisaram de dois dias, com as escaladas e passagem das cordas entre as duas montanhas. E o trabalho não precisou parar durante a noite.

Isso porque a região fica dentro do Círculo Polar Ártico que, a essa altitude, e durante o verão no hemisfério norte, o sol praticamente não se põe.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Sob pressão da UE, região da Polônia anula status de 'zona sem ideologia LGBTQIA+'

Ilhas Canárias: Pesquisadores alertaram em janeiro para possível erupção de vulcão em La Palma

Astronauta registra erupção nas Ilhas Canárias do espaço

Lava de vulcão das Canárias perde velocidade mas mantém capacidade de destruição