Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Paraíba

Editoria sobre Paraíba ir para editoria →

Em conjunto

Entidades vão ao CNMP para assegurar contratação de advogados por inexigibilidade

A ABA formará ainda uma Comissão Nacional de Advogados Municipalista para debater as questões ligadas a essa atuação de modo permanente na entidade

Esdras Dantas informou que a ABA apoia integralmente a causa dos advogados municipalistas, pois ela é de interesse nacional (Foto: Reprodução/assessoria)

Por

A Associação Paraibana da Advocacia Municipalista (Apam), a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Paraíba (OAB-PB) e a Associação Brasileira da Advocacia (ABA) darão entrada, de forma conjunta, em um Procedimento de Controle Administrativo (PCA) para pedir que seja revista a recomendação do Ministério Público da Paraíba que tenta barrar a contratação de advogados pelos municípios, através da modalidade de inexigibilidade. A ABA formará ainda uma Comissão Nacional de Advogados Municipalista para debater as questões ligadas a essa atuação de modo permanente na entidade.

Essas foram as definições tomadas durante reunião, realizada nestas segunda-feira (26), em Brasília, entre os dirigentes da Apam Marco Villar, Josedeo Saraiva, Carlos Fábio e Severino Medeiros; o presidente da ABA, Esdras Dantas, o presidente da OAB-PB, Paulo Maia; e o conselheiro nacional do Ministério Público, Leonardo Accioly.

Esdras Dantas informou que a ABA apoia integralmente a causa dos advogados municipalistas, pois ela é de interesse nacional. Sugeriu ainda a criação da comissão nacional para debater as lutas da classe.

Já Leonardo Accioly destacou que também apoia a causa e afirmou que a ação do Ministério Público da Paraíba é contrária à Resolução 36/2016 do Conselho Nacional do Ministério Público que permite a contratação de juristas pela modalidade de inexigibilidade.

Resolução - A resolução 36/2016 afirma que “A contratação direta de advogado ou escritório de advocacia por ente público, por inexigibilidade de licitação, por si só, não constitui ato ilícito ou improbo, pelo que recomenda aos membros do Ministério Público que, caso entenda irregular a contratação, descreva na eventual ação a ser proposta o descumprimento dos requisitos da Lei de Licitação”.

Legalidade - Alem da Lei 8.666/93, que estabelece que o profissional escolhido deverá possuir reputação ilibada e notável saber jurídico, o Superior Tribunal de Justiça considerou válida a contratação de escritório de advocacia sem licitação ante a natureza intelectual e singular dos serviços e decidiu que a moderação nos honorários e a relação de confiança entre o contratante e contratado são elementos que legitimam a dispensa de licitação para a contratação de profissionais de direito.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Homem é assassinado a facadas pelo ex-marido da esposa em Bayeux

Justiça determina apreensão de 20 ônibus escolares nas cidades de Montadas e Areial

Raio atinge cerca e acaba matando quatro bois em fazenda no Sertão do Estado

Contribuintes poderão renegociar débitos de IPVA atrasado na Paraíba