Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

A todo custo

Após rejeição no STF, Bolsonaro pede que PGR investigue Moraes

A queixa é semelhante à apresentada pelo mandatário ao Supremo e que foi rejeitada pelo ministro Dias Toffoli, relator do processo, nesta quarta-feira.

Moraes foi indicado pelo próprio Toffoli para conduzir a investigação. (Foto: Reprodução/CNN Brasil)

Por

O presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu nesta quarta-feira (18) que a Procuradoria-Geral da República (PGR) investigue o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Mores por abuso de autoridade na condução do inquérito das fake news. A queixa é semelhante à apresentada pelo mandatário ao Supremo e que foi rejeitada pelo ministro Dias Toffoli, relator do processo, nesta quarta-feira.

No documento, apresentado à PGR pelo advogado de Bolsonaro, Eduardo Magalhães, o chefe do Executivo alega que Moraes teria realizado "sucessivos ataques à democracia, desrespeito à Constituição e desprezo aos direitos e garantias fundamentais" e apresenta cinco justificativas para embasar o pedido de investigação contra o ministro do STF:

  • Estender injustificadamente uma investigação, prejudicando o investigado;
  • Negar às defesas acesso integral aos autos;
  • Prestar informação falsa sobre o procedimento (no caso, por ter dito que deu acesso do inquérito aos advogados);
  • Impor medida sem amparo legal (bloqueio integral de contas de parlamentares investigados nas redes sociais);
  • Instaurar investigação contra Bolsonaro sem indício de crime.

Bolsonaro passou a ser investigado por Moraes no inquérito das fake news por causa de um vídeo em que ele aparece falando de "indícios" de supostas irregularidades nas eleições de 2018 e 2020, sem apresentar provas. 

O vídeo foi transmitido ao vivo nas redes sociais do presidente em 29 de junho do ano passado. O inquérito, porém, foi aberto anos antes, em março de 2019, por meio de uma portaria assinada pelo então presidente do STF, Dias Toffoli. Moraes foi indicado pelo próprio Toffoli para conduzir a investigação.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Calvário: MPF recorre da decisão que enviou processo contra Ricardo Coutinho à Justiça Eleitoral e aponta que grupo agia no desvio de recursos

Governo da Paraíba publica decretos com redução na cobrança do ICMS sobre combustíveis

Republicanos: governador João Azevêdo terá reunião com Hugo Motta, Adriano Galdino e Wilson Santiago neste sábado

Hugo Motta chega à Granja para reunião com governador João Azevêdo, Adriano Galdino e Wilson Santiago