Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

Declaração

Bolsonaro diz que interrogatório de Nise Yamaguchi na CPI foi 'covardia'

Nise foi interrompida diversas vezes na comissão e acusada de não ter conhecimento para discutir tratamento da doença.

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (2) que foi uma "covardia" a maneira como a médica Nise Yamaguchi foi interrogada (Foto: Reprodução)

Por

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (2) que foi uma "covardia" a maneira como a médica Nise Yamaguchi foi interrogada um dia antes na CPI da Covid do Senado.

Defensora do uso da hidroxicloroquina contra Covid-19, medicamento sem eficácia comprovada, e de outras teses polêmicas com relação à pandemia, Nise foi interrompida diversas vezes na comissão e acusada de não ter conhecimento para discutir tratamento da doença.

Nise é oncologista, imunologista, possui doutorado em pneumologia e compareceu como convidada à CPI.

"Vocês viram o que a CPI fez com a Nise Yamaguchi ontem? Isso é uma covardia, covardia", disse Bolsonaro a apoiadores na manhã desta quarta. "Agora, quando vai lá gente suspeita, eles tratam muito bem, até defendem", afirmou.

De um lado na CPI, parlamentares alegaram a necessidade de evitar que a médica propagasse desinformações. De outro, houve acusação de excessos. A comissão é formada apenas por homens, entre membros titulares e suplentes.

Na semana passada, Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação da Saúde, também protagonizou momentos de tensão na CPI. Nesta quarta, Bolsonaro chegou a afirmar que Mayra ingressou com uma ação "contra eles", mas sem dar mais detalhes.

Na terça-feira (1º), logo após o depoimento de Nise Yamaguchi, Bolsonaro já havia chamado o episódio de covardia. Na mesma interação com apoiadores, porém, insultou uma jornalista.

Nesta quarta, além de defender a médica, Bolsonaro voltou a atacar o presidente e o relator da CPI da Covid, os senadores Omar Aziz (PSD-AM) e Renan Calheiros (MDB-AL), respectivamente.

"A CPI dos patifões, o presidente e o relator, que já falaram que não vão apurar desvios de recursos", afirmou Bolsonaro. "Quem conhece quem é Omar Aziz, quem é Renan Calheiros, não precisa falar mais nada", disse aos apoiadores.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

STF racha sobre investida contra procuradores e teme impacto no Judiciário

Em evento, João Dória destaca postura solidária de João Azevêdo e reforça que no palanque do PSDB cabem todos os partidos

Governador João Azevêdo é vacinado com terceira dose contra Covid-19

Veneziano e Aguinaldo Ribeiro se reuniram em gabinete no Senado para discutir chapa majoritária com governador em 2022