Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Política

Política - Últimas Notícias do Mundo Político | ClickPB ir para editoria →

Eleições

No dia da eleição argentina, Fernández publica foto fazendo símbolo de Lula Livre

Ele parabenizou o ex-presidente brasileiro pelo aniversário de 74 anos completados neste domingo.

Mais tarde, o candidato kirchnerista publicou uma foto no Twitter em que faz a letra L (Foto: Reprodução)

Por

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - Os principais candidatos argentinos à Presidência votaram pela manhã neste domingo (27).

Assim como nas eleições primárias, Alberto Fernández, 60, favorito nas pesquisas para vencer no primeiro turno, saiu para passear com seu cachorro, Dylan, e só depois se dirigiu ao centro de votação próximo a sua casa, em Puerto Madero.

Na saída, disse que "a situação econômica era muito preocupante e que todos devemos nos preocupar", mas não entrou em detalhes políticos, uma vez que a lei eleitoral proíbe esse tipo de declaração no dia do pleito.

O kirchnerista ainda disse estar tranquilo e comentou, a pedido de jornalistas, como foi o encontro no sábado (26) com o músico Gustavo Santaolalla, vencedor do Oscar pelas trilhas sonoras de "Brokeback Mountain" (2005) e "Babel" (2006).

Em vídeos que circularam nas redes sociais, Santaolalla e Fernández, para quem "Gustavo é um grande músico e um amigo", aparecem juntos tocando violão e cantando.

Ao final de suas declarações, Fernández disse que se lembra de Néstor Kirchner todos os dias e que gostaria de ter falado com ele neste dia, já que, para o candidato, o ex-presidente "ajudaria a Argentina a se levantar novamente".

Mais tarde, o candidato kirchnerista publicou uma foto no Twitter em que faz a letra L com as mãos, símbolo do movimento Lula Livre, e parabenizou o ex-presidente brasileiro pelo aniversário de 74 anos completados neste domingo.

"Também hoje faz aniversário meu amigo Lula, um homem extraordinário que está injustamente preso faz um ano e meio", escreveu Fernández. "Parabéns pra você, querido Lula. Espero te ver em breve."

Durante a campanha, em julho, o candidato visitou Lula na prisão, em Curitiba. Num programa de TV um dia depois de vencer as eleições primárias, Fernández defendeu o ex-presidente e afirmou que gostaria de dizer a Jair Bolsonaro que "Lula deveria estar livre para poder concorrer a uma eleição com ele".

Por fim, ainda chamou o atual mandatário brasileiro de "racista, um misógino e um violento que é a favor da tortura".

Já Mauricio Macri votou no bairro de Palermo. Seguindo uma tradição, levou uma bandeja com "medialunas" -croissants- para distribuir aos jornalistas.

Ao ser questionado como será seu dia nesta segunda-feira, afirmou que estará cedo na Casa Rosada, trabalhando, "seja qual for o resultado".

Macri também afirmou estar "ansioso, como todos os argentinos", mas que era preciso esperar os resultados preliminares, que começam a ser divulgados a partir das 21h.

"Se a brecha for muito apertada, além dos resultados preliminares, vamos ter de ter paciência para esperar a contagem final", afirmou.

O presidente afirmou que almoçaria com sua família e mais tarde iria ao comitê de campanha para esperar o resultado.

A candidata a vice-presidente na chapa de Alberto Fernández, Cristina Kirchner, votou cedo em Río Gallegos, na Província de Santa Cruz, onde vive.

Esquivando-se das perguntas dos repórteres, a ex-presidente se justificou dizendo: "Vocês sabem que o jornalismo não é o meu forte", o que arrancou risadas.

Cristina também almoçaria em família e voaria às 18h para Buenos Aires, para se juntar a Fernández no "bunker" de campanha do peronismo.

No início da manhã, o palco já estava sendo armado na avenida Corrientes, na capital, com as ruas ao redor todas cercadas.

Enquanto Macri costuma fazer seus discursos pós-eleitorais dentro do complexo cultural e comercial Costa Salguero, a festa kirchnerista costuma ocorrer na rua.

Às 15h, a Câmara Eleitoral Argentina comunicou que 56% do padrão eleitoral já tinham votado. Segundo determinação da juíza María Romilda Servini de Cubría, assim como nas primárias, não seria possível divulgar resultados de boca de urna antes do primeiro relatório oficial.

Ainda assim, algumas pesquisas encomendadas pelos partidos já circulavam. Uma delas, realizada até as 12h30, mostrava 16 pontos de diferença e uma vitória em primeiro turno para Fernández.

Macri desconsiderou os levantamentos, afirmando que são "imprecisas e manipuladas". E acrescentou: "Eu sei que é difícil, mas temos de ter paciência".

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Governador critica ex-aliados, diz que Reforma da Previdência é obrigação e que não será fantoche e demagogo

Luciano Cartaxo descarta aposentadoria, mas ainda não definiu pretensão de candidatura em 2022

Em mudança de postura, Bolsonaro fala em 'nosso STF' e elogia decisões recentes

Paraíba é um dos 18 estados com propostas de reforma da previdência tramitando; 6 já aprovaram