Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Religião

Editoria sobre Religião ir para editoria →

Vaticano

Papa diz que 'guerra insensata' na Ucrânia ameaça mundo

Celebração especial foi de consagração a Maria.

Destacando os "bens preciosos" que são a fraternidade e a paz, Francisco pede a Maria para que ela "proteja e cuide" de todos no mundo. (Foto: Reprodução)

Por

CIDADE DO VATICANO, 25 MAR (ANSA) — O papa Francisco afirmou que a guerra "cruel e insensata" na Europa ameaça todo o mundo durante a cerimônia de consagração a Maria nesta sexta-feira (25). O ato destacou, em especial, a Rússia e a Ucrânia.   

"Esse é um gesto de plena confiança dos filhos que, na tribulação dessa guerra cruel e insensata que ameaça o mundo, recorrem à Mãe como as crianças assustadas que correm para as suas mães chorando, buscando proteção, colocando no seu coração o medo e a dor e entregando a si mesmos para ela", pontuou.   

Destacando os "bens preciosos" que são a fraternidade e a paz, Francisco pede a Maria para que ela "proteja e cuide" de todos no mundo.   

"Deus tem projetos de paz e não de desventuras e o sim de Maria é a participação mais estreita ao seu plano de paz para o mundo.   

Nós consagramos a Maria para entrar nesse plano, para nos colocar à plena disposição dos projetos de Deus. A Mãe de Deus nos pegue hoje pela mão e nos guie através dos caminhos íngremes e cansativos da fraternidade e nos guie pelo caminho da paz", acrescentou.   

Repetindo o que falou na audiência geral, o Pontífice ressaltou que as "notícias e as imagens de morte continuam a entrar em nossas casas enquanto as bombas destroem as casas de tantos irmãos e irmãs ucranianos indefesos".   

"A guerra declarada, que se abateu sobre tantos e faz sofrer a todos, provoca sentimentos de medo e de desânimo. Temos uma espécie de sensação de impotência e de inadequação. Ocorre que a presença de Deus, a certeza do perdão divino, o único que cancela o mal, retira o rancor e restitui a paz no coração.   

Voltemos a Deus, voltemos ao seu perdão", acrescentou.   

Ao fim de sua fala, o líder católico destacou que "deseja levar solenemente ao Imaculado Coração de Maria tudo o que estamos vivendo e renovar a ela a consagração da Igreja e da humanidade inteira e, de maneira particular, o povo ucraniano e o povo russo , que com afeto filial a veneram como Mãe".   

A consagração desta sexta é mais uma celebração que Francisco faz para pedir o fim da guerra ucraniana, iniciada em 24 de fevereiro. O tema tem tomado grande parte do espaço das homilias, das orações e dos discursos do chefe da Igreja Católica desde o início dos combates. (ANSA).   

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Papa Francisco recebe cocar de bispos do Amazonas

Trabalho sem salário justo é escravidão, diz Papa

Papa Francisco não vai celebrar missa de Corpus Christi por causa de dor no joelho

Papa Francisco demite padre investigado por pornografia com adolescente no interior de São Paulo