Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Religião

Editoria sobre Religião ir para editoria →

Vaticano

Trabalho sem salário justo é escravidão, diz Papa

Francisco também afirmou que “o problema não está no dinheiro em si”, pois é algo que “faz parte da vida diária das pessoas e das relações sociais”.

Em mensagem pela Jornada Mundial dos Pobres, o líder da Igreja Católica disse que quando a “única lei passa a ser o cálculo do lucro no fim do dia, então deixa de haver qualquer freio na adoção da lógica da exploração das pessoas”. (Foto: Reprodução)

Por

VATICANO, 14 JUN (ANSA) – O papa Francisco afirmou nesta terça-feira (14) que o trabalho sem horário e salário justos é “escravidão”.   

Em mensagem pela Jornada Mundial dos Pobres, o líder da Igreja Católica disse que quando a “única lei passa a ser o cálculo do lucro no fim do dia, então deixa de haver qualquer freio na adoção da lógica da exploração das pessoas”.

“Os outros não passam de meios. Deixa de haver salário justo, horário justo de trabalho e criam-se novas formas de escravidão, suportada por pessoas que, sem alternativa, devem aceitar este veneno de injustiça a fim de ganhar o mínimo para comer”, escreveu o pontífice.   

Em seguida, o Papa ressaltou que a “pobreza que mata é a miséria, filha da injustiça, da exploração, da violência e da iníqua distribuição dos recursos”. “É a pobreza desesperada, sem futuro, porque é imposta pela cultura do descarte que não oferece perspectivas nem vias de saída”, disse.   

Francisco também afirmou que “o problema não está no dinheiro em si”, pois é algo que “faz parte da vida diária das pessoas e das relações sociais”.   

“Devemos refletir, sim, sobre o valor que o dinheiro tem para nós: não pode tornar-se um absoluto, como se fosse o objetivo principal. Um tal apego impede de ver, com realismo, a vida de todos os dias e ofusca o olhar, impedindo de reconhecer as necessidades dos outros. Nada de mais nocivo poderia acontecer a um cristão e a uma comunidade do que ser ofuscados pelo ídolo da riqueza, que acaba por acorrentar a uma visão efémera e falhada da vida”, salientou. (ANSA).   

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2022 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

Edir Macedo sugere que fiéis doem seus bens à Universal antes de morrer

Papa Francisco pede desculpas por ações da Igreja contra a população indígena no Canadá

Papa Francisco viaja ao Canadá onde deve reforçar pedido de desculpas por abusos em internatos indígenas

Não tenham vergonha de denunciar abusos, pede Papa