Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Tecnologia

Editoria sobre Tecnologia ir para editoria →

Xoom 2, ipad e Playbook

Especialista compara os tablets mais vendidos no Brasil

Afinal, qual é a melhor experiência de usuário num tablet? Para conferir, O GLOBO fez uma comparação entre três dos principais tablets do mercado - o novo iPad, da Apple, o Xoom 2, da Motorola, e o PlayBook, da RIM (BlackBerry). A principal batalha, no entanto, é entre os sistemas iOS e Android, que têm suas próprias idiossincrasias, por assim dizer.

- O iOS (usado no iPad) é uma experiência transparente para o usuário, pois suas versões são compatíveis com as anteriores e isso facilita muito a usabilidade - diz Jorge Monteiro, diretor executivo da Superfones, empresa de soluções para operadoras de telefonia. - Já o Android (usado pelo Xoom) é interessante para quem usa as ferramentas da Google, pois se integra bem com elas.

Em termos de uso e simplicidade, o iPad ainda é o campeão. Sua inicialização é mais rápida que a dos outros dois, e ele já apresenta de cara a tela principal com os aplicativos -coisa que o Android não faz, pois nele vem primeiro a tela de home a partir da qual se acessa a dos apps.

A tela do Xoom 2 tem boa definição, e fotos e clipes de vídeo são bem visualizados nele, mas a Retina Display do novo iPad, com seus mais de 3 milhões de pixels, está muito além dos outros dois tablets. E, embora seja ligado num pequeno botão traseiro, o tablet da Apple tem como trunfo seu único botão físico na frente, para o retorno à página de apps após a abertura de qualquer um deles. O Xoom 2 também é ligado na parte posterior e apresenta na frente botões virtuais de voltar, home e janelas de apps.

Se o botão único do iPad é o ápice da simplicidade, o Xoom apresenta uma pequena vantagem aqui porque, quando o viramos para mudar o sentido da tela, os botões, justamente por serem virtuais e não físicos, acompanham a mudança. Ficam sempre embaixo, esteja a tela no sentido horizontal ou vertical.

Já o PlayBook - com um sistema operacional proprietário da RIM, como no Blackberry - tem os botões de ligar e volume em cima, no sentido horizontal (o melhor para usá-lo, já que a tela tem 7 polegadas, contra 10 polegadas dos outros dois). Não há botões no entorno da tela. Ao acessar um aplicativo, o usuário, para voltar à tela anterior, precisa fazer um "swipe" (movimento com os dedos) vertical. A tela do app então se reduz e aparece uma seta para voltar ao menu de programinhas.

Som de alta fidelidadeno tablet da Apple

Em termos de qualidade de som e vídeo, o iPad também ganha dos outros. Visitamos o mesmo vídeo on-line nos três tablets, e a qualidade no da Apple foi superior, com uma ambiência mais forte. Por falar em on-line, a conexão à internet (testada através de uma rede Wi-Fi) se mostrou mais robusta no iPad, mas não fez feio no Xoom 2 nem no PlayBook. O site em que o vídeo foi assistido, no entanto, demorou mais a carregar no sistema do PlayBook. Enquanto o site em questão - propositalmente escolhido por abusar de imagens grandes e multimídia - foi rapidamente adaptado e carregado nas telas de iPad e Xoom 2, no PlayBook levou vários segundos até carregar por completo e deu pequenas travadas durante o vídeo.

- Diga-se de passagem que o sistema do BlackBerry (e do PlayBook), embora tecnicamente seja considerado o mais seguro dos três, tende a ser substituído, especialmente nos ambientes corporativos, pelo Android - vaticina Jorge Monteiro. - Isso porque cada vez mais empresas vêm utilizando as soluções de nuvem da Google.

E os aplicativos? O iOS é o líder do setor. São 650 mil aplicativos, com mais de 30 bilhões de downloads, contra 466 mil do Android, com 10 bilhões de downloads - apps suportados também no sistema do PlayBook. Mas o que chama a atenção no iPad são os apps de imagem e música. O que não deixa de ser uma tradição no mundo Mac. A chegada do iPhoto com o novo iPad - praticamente um Photoshop sem a complicação do programa da Adobe - deixa os usuários com muita vontade de editar e brincar com fotos, usando apenas os dedos para ativar os inúmeros recursos. E o GarageBand (agora turbinado com instrumentos de orquestra sinfônica) tem uma fidelidade capaz de virar a cabeça de qualquer músico, amador ou não.

Entretanto, os aplicativos Android entregam toda a utilidade das ferramentas Google com um toque - Gmail, Maps, Talk, Google+, Google Play, busca, Latitude etc. A praticidade de fazer tudo on-line atrai.

- O problema do Android é que, dada a quantidade de versões (o sistema tem código aberto), nem sempre é possível mantê-lo atualizado corretamente - ressalva Monteiro.

Para Adriano Rayol, diretor da Uplay Mobile, que desenvolve apps móveis, o ecossistema Android é mais nebuloso para os programadores justamente pelo mesmo motivo.

- O iOS é mais robusto, enquanto portar aplicativos para Android nem sempre funciona em todas as versões - diz.

As câmeras dos três tablets são de 5 megapixels, e de modo geral intuitivas no uso para fotografias e vídeos. Mas o iPad e o PlayBook gravam vídeos em 1080p, contra 720p do Xoom 2.

Conexão com PC: Xoom 2 e PlayBook se destacam

É no quesito conexão com o computador que o iPad perde, porque necessita do iTunes pré-instalado no PC. Há muito mais usuários de Windows que de Mac, e quem não tem ou não quer ter iTunes no desktop se limitará a importar fotos e vídeos do iPad para o desktop. Não é possível copiar arquivos diretamente para o tablet sem a intermediação do software da Apple.

Já o PlayBook, ao ser conectado à porta USB pela primeira vez, instala o BlackBerrry Device Manager e depois disso é lido como um pen drive comum. Bem mais simples e transparente. E o Xoom 2 instala o MotoCast, função da Motorola que permite a sincronização de seu tablet com o PC via Wi-Fi. Arquivos colocados nas pastas do MotoCast no PC são automaticamente vistos no Xoom. Inclusive, em nosso teste, o tablet detectou automaticamente o MotoCast que fora instalado anteriormente a partir de um smartphone Razr da nova geração, mostrando os arquivos sincronizados naquela ocasião.

No gerenciamento de e-mails e mensagens, os tablets se comportaram bem. Destaque para a combinação inteligente de mensagens de várias contas (Gmail, Facebook, Twitter e LinkedIN) no PlayBook, cujo calendário se conecta aos aniversários dos contatos na rede de Mark Zuckerberg.

No cômputo geral, a experiência de usuário mais simples e direta continua sendo a do iPad, embora as interfaces com o Windows sejam melhores no Xoom 2 e no PlayBook. Alguns usuários mergulharam tão a fundo no universo iPad que não querem mais saber do PC. É o caso de Adriano Rayol, da Uplay.

- Eu nem ligo mais o PC de casa. Fico no iPad direto, até na cama e mesmo na cozinha. Como gosto de cozinhar, muitas vezes ponho um vídeo do chef Jamie Oliver e faço as receitas.

 

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

iPhone 7 pode ser à prova d'água, segundo patente da Apple

Nova tecnologia pode deixar computadores mil vezes mais rápidos

Justiça concede liminar para restabelecer aplicativo no Brasil

Justiça determina bloqueio do WhatsApp no Brasil por 48 horas