Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Notícias Policiais

Editoria sobre Policial ir para editoria →

Violência

Caso Júlia relembra tragédia com Rebeca Cristina, que teve padrasto condenado por estupro e homicídio após estudante ser morta em João Pessoa

O crime contra Rebeca aconteceu, em 2011, na volta para casa após a estudante ter tido aulas no Colégio da Polícia Militar, em Mangabeira.

Além das semelhanças entre os casos de Júlia e de Rebeca, há também lembrança a outras mortes de meninas em João Pessoa, como a de Fernanda Ellen e de Anielle Teixeira. (Foto: Reprodução/Redes sociais/Edição ClickPB)

Por

A morte de Júlia, de 12 anos, relembrou à Paraíba a tragédia envolvendo Rebeca Cristina, de 15 anos, que teve o padrasto condenado por estupro e homicídio qualificado, em 2019. O crime contra Rebeca aconteceu, em 2011, na volta para casa após a estudante ter tido aulas no Colégio da Polícia Militar, em Mangabeira.

O corpo, que pode ser o de Júlia e vai passar por exames para confirmação, foi encontrado nesta terça-feira (12) após o padrasto, Francisco Lopes, confessar que matou a menina e escondeu o corpo em um 'cacimbão' próximo da casa da família, em Gramame, João Pessoa. O homem negou que tenha cometido abuso sexual contra a enteada e disse à Polícia Civil que a assassinou com receio de que ela fizesse algum mal por ciúmes da gravidez da mãe.

Pela relação de padrastos e enteadas, muitas pessoas relembraram a morte de Rebeca Cristina nesta terça-feira após a descoberta do envolvimento do padrasto de Júlia na morte dela. No caso de Francisco Lopes, ele confessou ter assassinado Júlia. Já o cabo Edvaldo foi condenado com base em provas coletadas e levadas ao processo na Justiça, mas continuou negando a autoria. O motivo do assassinato, segundo investigações, inclui a descoberta de um mencionado relacionamento extraconjugal do cabo Edvaldo com outro homem, enquanto ele estava casado com a mãe de Rebeca.

O corpo de Rebeca foi encontrado em uma mata em Jacarapé, em João Pessoa. O de Júlia também estava em uma vegetação, mergulhado em um 'cacimbão'.

Saiba mais

Além das semelhanças entre os casos de Júlia e de Rebeca, há também lembrança a outras mortes de meninas em João Pessoa, como a de Fernanda Ellen, que desapareceu e foi encontrada morta no quintal da casa de um vizinho, o qual alegou ter matado para pegar o celular dela e vender para comprar drogas. Há também o caso de Anielle Teixeira, que foi encontrada morta no dia 8 de setembro de 2021, em uma mata no Miramar, na Capital. O suspeito, amigo da família, a atraiu enquanto todos dormiam em um quiosque na orla, e a levou a essa mata em Miramar, onde a matou. Ele nega ter estuprado a menina.

Saiba mais


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Operação 'Luz na Infância' combate abuso e exploração sexual infantil na Paraíba e mais doze estados

Polícia Civil prende suspeito de causar incêndio e manter mulher em cárcere privado na Paraíba

Colisão deixa dois carros destruídos no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa

Incêndio em galpão de reciclagem em Patos pode ter sido causado por fogos de artifícios de festejos juninos