Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Notícias Policiais

Editoria sobre Policial ir para editoria →

Cidade Luz

Chefe de gabinete preso em operação em Patos tem prisão mantida em audiência de custódia

A audiência presidida pelo juiz de direito Ramonilson Alves, no Fórum Miguel Sátiro, em Patos.

Operação Cidade Luz foi deflagrada pelo Ministério Público (Foto: Reprodução)

Por

Em audiência de custódia no Fórum Miguel Sátiro, em Patos, a Justiça decidiu na tarde desta quinta-feira (020) manter a prisão preventiva do chefe de gabinete da Prefeitura Municipal de Patos, Múcio Sátiro Filho, preso na Operação Cidade Luz, desencadeada pelo Ministério Público da Paraíba, o Ministério Público do Rio Grande do Norte e pelas Polícia Civil e Militar. 

A prisão preventiva foi determinada pelo Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) e cumprida durante a operação deflagrada hoje. 

A audiência presidida pelo juiz de direito Ramonilson Alves terminou por volta das 13h. O magistrado determinou que o chefe de gabinete seja encaminhado para o 3º Batalhão de Polícia Militar (3º BPM), em Patos, onde ficará recolhido até a transferência para João Pessoa. Como Múcio Sátiro Filho tem curso superior (Direito), ele tem direito a cela especial.

A investigação aponta o pagamento de propina e a existência de superfaturamento no contrato emergencial de iluminação pública firmado pela Prefeitura Municipal de Patos no ano de 2017, com o envolvimento de agentes políticos, servidores comissionados e as empresas Enertec e Real Energy Ltda.

Há também provas de participação de outras empresas no fornecimento de propostas pré-ajustadas para a Concorrência Pública nº 01/2017, naquele município.

Quanto ao núcleo composto por agentes políticos e servidores comissionados, foi identificado o pagamento de propina por meio de mecanismos de lavagem de capitais.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrarem.

Destaque

ir para editoria →

Homem armado é preso após ameaçar mãe e irmã em Belém

Adolescente de 13 anos é apreendido com 40 kg de maconha em Cabedelo

Polícia apreende adolescente após confessar ter arrombado pizzaria

Diretor do IPC deve entregar na quinta-feira laudos sobre morte do capitão Moneta