Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Notícias Policiais

Editoria sobre Policial ir para editoria →

Agressão

Filho de paraibanos morre após ser agredido em São Paulo; mãe é principal suspeita

Gael de Freitas Nunes​ é filho de um casal natural do município de Prata, no Cariri da Paraíba.

Um menino de 3 anos morreu nesta segunda-feira (10), após ser agredido, no bairro Bela Vista, região central de São Paulo. (Foto: Reprodução)

Por

Um menino de 3 anos morreu nesta segunda-feira (10), após ser agredido, no bairro Bela Vista, região central de São Paulo. Gael de Freitas Nunes é filho de um casal natural do município de Prata, no Cariri da Paraíba. 

A tia-avó informou que por volta das 7h deu mamadeira para a criança e ficaram na sala assistindo à televisão. Após alguns minutos, o garoto foi até a cozinha, onde estava a mãe. 

A tia disse que ouviu um choro, porém achou que ele estava apenas pedindo colo para a mãe. Logo em seguida ela escutou barulhos fortes de batidas na parede e acreditou que viriam de outro apartamento. Após dez minutos, ela passou a ouvir o barulho de vidro quebrando na cozinha e, quando chegou a criança estava desacordada no chão com vômito e coberta por uma toalha de mesa.

A mulher disse no Boletim de Ocorrência que perguntou a mãe do menino o que tinha acontecido, mas ela não respondeu.

O garoto foi levado à Santa Casa de São Paulo, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com as primeiras informações do Samu, a mãe teria passado por um surto psicótico. Ela foi encaminhada em choque após o ocorrido para um Hospital, onde foi medicada.

Ainda segundo a tia, a mãe do menino já foi internada cerca de quatro vezes, no entanto, ela não confirmou se as internações foram por motivos psiquiátricos.

A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, por nota, disse que o caso foi registrado pela 1ª Delegacia de Defesa da Mulher e que vai investigar a fundo o caso.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Fábrica clandestina de fogos de artifício explode no município de Patos

Trio é preso suspeito de participar de assalto a farmácia em Campina Grande

Criança de um ano é salva por policiais militares após se engasgar em João Pessoa

Idoso é detido após atropelar ciclista em João Pessoa