Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Notícias Policiais

Editoria sobre Policial ir para editoria →

Nesta manhã

Gaeco deflagra operação contra pirâmide financeira na Paraíba e mais três estados

Além da Paraíba, também estão sendo cumpridos mandados nos estados de Pernambuco, Bahia e Minas Gerais.

Ao todo, foram expedidos 29 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão (Foto: Reprodução)

Por

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado do Ministério Público do Estado da Paraíba (Gaeco) deflagrou na manhã desta quinta-feira (25), uma operação contra para desbaratar um esquema de pirâmide financeira. A Operação "Black Monday" investiga os crimes de pirâmide financeira, crimes contra relações de consumo e de lavagem de dinheiro.

Além da Paraíba, também estão sendo cumpridos mandados nos estados de Pernambuco, Bahia e Minas Gerais. Conforme informações recebidas pelo ClickPB, Polícia Civil e Militar estão participando da operação.

Ao todo, foram expedidos 29 mandados de busca e apreensão e seis mandados de prisão. A Operação foi deflagrada pelo Ministério Público de Minas Gerais, através da 8.ª Promotoria de Justiça de Pouso Alegre e do GAECO, e a Polícia Militar de Minas Gerais, em conjunção de esforços com o Ministério da Justiça, da Polícia Civil de Goiás, e dos Ministérios Públicos (GAECOS) dos Estados de Pernambuco, São Paulo, Paraíba, Bahia, Alagoas, Goiás, Maranhão, Rondônia, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

A apuração, iniciada em maio de 2020, recolheu indícios de que, através dos sites “Aprenda Investindo” e “Investing Brasil”, centenas de pessoas, na expectativa de realizar investimentos financeiros, foram direcionadas para as corretoras “VLOM” e “LBLV”. Assim, as vítimas realizavam transferências bancárias para diversas pessoas jurídicas e os valores não eram revertidos  no desejado investimento. Ao contrário, o dinheiro das vítimas, conforme até o momento apurado, era convertido em “Bitcoins” e em bens de alto valor.

Estima-se que, entre os anos de 2019 e 2020, o número de vítima seja superior a 1.500 pessoas, as quais teriam perdido a quantia de, ao menos, R$ 60 milhões.

No total, participaram da operação 26 Promotores de Justiça, 42 servidores dos Ministérios Públicos, 20 Delegados de Polícia, 91 Agentes da Polícia Civil, 30 Policiais Militares, 02 Peritos e 09 Policiais Rodoviários Federais. 

Após o encerramento das diligências serão divulgados o número de pessoas efetivamente presas, inclusive em razão de flagrante, e dos bens apreendidos para reparação dos danos causados às vítimas.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Polícia Militar encerra festa e apreende veículo com som automotivo em Santa Rita

Polícia do Rio divulga lista com nomes de 28 mortos na operação do Jacarezinho

Polícia retifica número de mortos para 28 em Jacarezinho

Jovem é preso suspeito de roubar celular no bairro Colinas do Sul