Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Notícias Policiais

Editoria sobre Policial ir para editoria →

Em João Pessoa

Justiça fecha festa por exploração sexual de mais de 100 adolescentes no Bessa

Festa no bairro do Bessa cobrava R$ 15 de entrada e dava direito à bebida alcoólica, preservativo e quarto por 30 minutos

Ingresso da festa dava direito a consumir bebidas alcoólicas e usar quarto por 30 minutos (Foto: Divulgação/1ª Vara da Infância e Juventude)

Por

Agentes da 1ª Vara da Infância e da Juventude acabaram com uma festa que iria acontecer em uma casa no bairro do Bessa, em João Pessoa, por suspeita exploração sexual de adolescentes e consumo de bebida alcoólica. 

Segundo o juiz da infância e da juventude, Adhailton Lacet Porto, responsável pela ação, os agentes encontraram muitos adolescentes, uma grandes quantidades de bebida alcoólica e preservativos.

Os organizadores da festa fugiram do local com a chegada dos agentes. De acordo com o juiz Adhailton Lacet, o dono da casa onde era realizado o evento informou, por telefone, que não sabia que a festa teria presença de adolescentes com consumo de bebidas alcoólicas e exploração sexual.

O proprietário da casa foi notificado e intimado a prestar depoimento na 1ª Vara da Infância e da Juventude. A casa foi fechada e o material que estava no local apreendido pelos agentes da infância e juventude.

“Eu irei receber o auto de infração segunda-feira com todos os detalhes. Mas foi uma mãe de adolescente que estuda no Marista que, ao ver o celular do filho, descobriu essa "festa" secreta em um grupo com mais de duzentos adolescentes”, explicou o juiz.

A festa seria em um condomínio próximo ao Aeroclube da Paraíba, mas os organizadores decidiram mudar o local após o endereço ter “vazado”. Ainda assim, a Justiça descobriu o novo local e realizou a ação. Segundo o juiz Adhailton Lacet Porto, a entrada da festa era R$ 15 e dava direito à bebida alcoólica, um quarto por 30 minutos e preservativos.

“O preço muito barato nos leva a crer que seria uma maneira de viciar jovens com outras drogas para criar um exército de dependentes”, explicou o magistrado.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Polícia Militar prende suspeito de matar o próprio primo com facada

Dono de espetinho sofre tentativa de assassinato em Sousa

Menino de 12 anos morre afogado em açude no Brejo da Paraíba

Cozinheiro internado após sofrer queimaduras de segundo grau em churrasqueira morre em Campina Grande