Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Notícias Policiais

Editoria sobre Policial ir para editoria →

Luz na Infância

Operação contra pornografia infantil cumpre mandados de busca no Rio Grande do Sul

Investigação é coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Ação ocorre também em outros 17 estados brasileiros e em mais cinco países. Uma pessoa foi presa no estado, em Ijuí.

Operação contra pornografia infantil cumpre mandados de busca no RS. (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Por

Uma operação feita nesta quarta-feira (9), em 18 estados brasileiros e cinco países, de combate a crimes de abuso e exploração sexual praticados na internet contra crianças e adolescentes, cumpre mandados de busca e apreensão no Rio Grande do Sul.

No estado, as ações ocorrem em Canoas e Ijuí. Até as 8h15, uma pessoa havia sido presa na cidade do Noroeste gaúcho.

A Operação Internacional Luz na Infância é coordenada pela Secretaria de Operações Integradas (Seopi), do Ministério da Justiça (MJSP). O objetivo é combater os crimes de pornografia infantil, abuso e exploração sexual infantil na internet.

A operação ocorre também na Argentina, Panamá, Estados Unidos, Paraguai e Equador. Já no Brasil, a ação acontece nos estados: SP, RJ, PA, ES, RO, MT, PR, CE, GO, MS, SC, RN, AL, PI, BA, MA, AM e RS.

Segundo a diretora da Divisão da Criança e Adolescente (Deca), do Departamento Estadual de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV), delegada Eliana Parahyba Lopes, a operação quer, sobretudo, proteger crianças e adolescentes do elevado número de “predadores” que têm se multiplicado na Internet.

“Também queremos chamar a atenção para o papel dos pais nessas situações, os quais devem estar sempre alertas e vigilantes, inclusive, fazendo uso de dispositivos que assegurem o controle parental”, explica.

Conforme a legislação brasileira, é crime armazenar, produzir e compartilhar conteúdo sexual envolvendo crianças e adolescentes. A pena para quem armazena esse tipo de conteúdo varia de 1 a 4 anos de prisão, de 3 a 6 anos pelo compartilhamento, e de 4 a 8 anos pela produção de conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Carro bate em muro após colisão com outro veículo em viaduto de João Pessoa

Polícia Federal apreende 1,3 toneladas de cocaína em jato particular no Ceará

Sete pessoas são presas durante operação da Polícia Civil em três municípios da Paraíba

Colisão entre motos deixa casal morto em rodovia da Paraíba