UFC

Após quase se aposentar, Marreta mira retorno e avisa: ‘Não vai demorar pra eu disputar o cinturão novamente’

O que mais chamou atenção foi ele ter lutado praticamente o combate todo no sacrifício após romper o ligamento cruzado do joelho esquerdo ainda no round inicial.

Por

 Thiago Marreta fez uma promessa no começo do ano de que iria “chocar o mundo” quando encontrasse o campeão Jon Jones. Na luta principal do UFC 239, em julho passado, o carioca teve uma performance impressionante, mas acabou sendo derrotado por decisão dividida. 

O que mais chamou atenção foi ele ter lutado praticamente o combate todo no sacrifício após romper o ligamento cruzado do joelho esquerdo ainda no round inicial. Ao término do evento, exames revelaram também rompimento do menisco, uma fratura na tíbia (ambos na perna esquerda) e outros problemas no joelho direito.

Em bate-papo com a TATAME, Marreta disse que cogitou aposentadoria, por achar que não poderia mais lutar em alto rendimento.

“Eu cogitei parar (de lutar), porque eu não estava conseguindo fazer muitas coisas e pensei que pudesse ser difícil voltar a lutar em alto rendimento. Então, por isso, passou pela minha cabeça se aposentar. Mas eu conversei com os médicos que me operaram, com o meu fisioterapeuta, com atletas que também passaram por esse tipo de cirurgia e eles me passaram muita confiança. E, hoje, tenho certeza que vou voltar a lutar 100%”, disse o lutador.

Operação, pós-cirúrgico e início do tratamento foram todos realizados nos Estados Unidos. Marreta disse que ficou abalado emocionalmente, porém não ao ponto de entrar em depressão. No entanto, afirmou que foi muito difícil ficar longe da família neste período e que tem aproveitado o tempo para ficar mais perto da mãe e do filho.

Já sobre a recuperação, o meio-pesado disse que já retornou aos treinos de Boxe e que, aos poucos, vai regressando as atividades normais. “Eu já estou treinando Boxe. As coisas vão acontecendo aos poucos e devagar eu vou adicionando as outras modalidades. Por enquanto é o Boxe, daqui a algumas semanas, vou começar a chutar, com o Muai Thai, depois o Jiu-Jitsu e, por fim, o Wrestling”, projetou.

Após a luta com Jon Jones, Marreta saiu bem maior do que entrou no combate, mesmo com o resultado negativo. O brasileiro evitou fazer projeções e escolher um nome para o seu retorno, mas garantiu que em breve vai disputar o cinturão novamente.

“A divisão dos meio-pesados é uma das mais empolgantes do UFC. Tem muita coisa que vai acontecer até a minha volta. A minha preocupação é voltar a lutar o quanto antes, para fazer o que eu amo. Tenho certeza que quando eu voltar a lutar, não vai demorar muito para eu disputar o cinturão novamente”, concluiu.


Fonte: Tatame.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

Sem atuar há dois anos, Rafael Feijão diversifica investimentos e projeta aposentadoria para 2020

Invicto, lutador brasileiro relembra infância difícil antes de estreia no LFA: ‘Eu sempre acreditei em mim’

Zabit Magomedsharipov vence Kattar e segue invicto no UFC

Pedrita deixa o UFC São Paulo após testar positivo em exame por ‘uso acidental de remédio’