UFC

Após voltar a vencer, Pantoja não esconde desejo no UFC: "Quero muito lutar com Deiveson!"

Depois de bater angolano Manel Kape, brasileiro quer fazer revanche em evento no Brasil: "Gosto muito do Deiveson, é um cara que respeito. E por respeitá-lo é que peço essa luta novamente".

Por

Alexandre Pantoja já tem o objetivo traçado após vencer o angolano Manel Kape no UFC do último sábado, em Las Vegas, por decisão unânime (29-28, 29-28 e 30-27). O lutador peso-mosca, até então número 5 da categoria até 56kg, quer uma revanche com o campeão Deiveson Figueiredo. Em julho de 2019, no Canadá, os dois fizeram uma batalha intensa que terminou com vitória do paraense por decisão unânime.

- Quero muito lutar com Deiveson! Quero que as coisas melhorem e quero lutar com ele no Brasil. Gosto muito do Deiveson, é um cara que respeito. Respeito a vida dele, a família dele, e por respeitá-lo é que peço essa luta novamente. Não sei se ele está pronto para ela, se vai lutar com o Brandon (Moreno), mas quero mirar ele (...). Se for ver minhas derrotas, nunca saí machucado, sempre lutei para frente, trocando com todo mundo. Tenho três derrotas no UFC, e as duas que não foram para ele (Deiveson) acredito que venci. Com Deiveson realmente foi nos detalhes. Espero lutar com ele de novo, foi um show, e espero levar esse show de novo para o Brasil - afirmou Pantoja.

Depois da derrota para Deiveson, Pantoja venceu Matt Schnell e, na sequência, perdeu para Askar Askarov. Agora, diante de Kape, campeão peso-galo no Rizin, se recuperou de novo. O brasileiro

- Apesar de ele estar estreando, é um campeão que enfrentou nomes muito fortes, e é um cara muito forte. Ele veio da categoria de cima, e pegando no grappling quando vinha para cima era bem forte. Claro que ele ficou com medo do meu jiu-jítsu, e foi inteligente da parte dele não querer trocar comigo no chão, estava preparado para finalizá-lo. Só que é um cara muito forte, tenho certeza de que vai fazer bastante frente com o pessoal da divisão.

Aos 30 anos e com um cartel de 23 vitórias e cinco derrotas, Pantoja ressalta que ainda tem muito a aprender, como aconteceu da luta anterior para a do último sábado.

- Minha última derrota me fez pensar muito. Vou fazer 14 anos de profissional só de MMA, luto desde os 17 anos, e é incrível como a gente ainda aprende. A minha última derrota me fez aprender bastante sobre como fazer minha dieta um pouco melhor, vim mais consciente para essa luta. Às vezes, o lutador fica muito focado em coisas místicas, e eu me desapeguei um pouco disso. A gente tem que vir focado e trabalhar, fazer o nosso melhor. Ali na luta estava o tempo todo muito consciente do que estava acontecendo, do que eu estava fazendo. Lutei contra um cara muito duro e estou muito feliz com essa vitória.


Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

Megan Anderson cita envergadura e potência física como desafios a Amanda Nunes no sábado

Às vésperas de defesa de título no UFC, Amanda Nunes admite: "Já fiz tudo o que queria no esporte"

Jon Jones ironiza luta peso-pesado no UFC: "Melhor esses meninos se acostumarem a acelerar o ritmo"

Dana White: Jéssica Bate-Estaca desafia Valentina Shevchenko pelo cinturão no UFC 261