UFC

Com manopleiro e até médico, PRVT investe R$ 50 mil para levar "batalhão" para o UFC Shenzhen

Equipe de Jéssica Bate-Estaca e Karol Rosa utiliza recursos próprios para contar com dez pessoas na China e desembarca com três semanas de antecedência para dar suporte às suas lutadoras.

Por

Médico. Fisioterapeuta. Empresário. Técnico. Manopleiro. Preparador físico. Companheiras de treino. Ufa! A PRVT invadiu a China para o UFC Shenzhen, que acontece no próximo sábado, dia 31. Com a campeã do peso-palha (até 52kg) Jéssica Bate-Estaca defendendo seu cinturão e a estreia da peso-galo (até 61kg) Karol Rosa, a equipe do head coach Gilliard Paraná deu um "upgrade" na retaguarda e trouxe dez pessoas para a Ásia. A prática não é comum no UFC, que normalmente banca no máximo a passagem e hospedagem de duas pessoas por lutador, mas foi vista como importante pelo time para não apenas dar suporte, mas fazer com que as meninas se sentissem em casa mesmo tão longe do Brasil.

A estratégia, contudo, demandou investimento alto. Para atender todas as necessidades, a PRVT colocou cerca de R$ 50 mil do próprio bolso com hotel, passagem e alimentação. Todos chegaram com quase três semanas de antecedência e fizeram um camp de aclimatação em Xangai, no Instituto de Performance do UFC. Lá, Jéssica e Karol se adaptaram ao clima, fuso horário e comida. Situações que são intangíveis, mas que "entram no octógono" e podem ajudar no sábado diante de Weili Zhang, quando "Bate-Estaca" coloca o cinturão em jogo, e Lara Procópio, brasileira rival de Rosa na estreia no UFC.

- NA PRVT é investimento nosso, pagamos várias passagens, caras. Gastamos uns R$ 50 mil, pagamos hotel bom para todo mundo. O UFC só paga a semana. Foram duas semanas de hotel. Dez pessoas. Médico, fisioterapeuta. Preparador físico, manopleiro. A grande maioria do nosso bolso. A Jéssica vai se sentir como se estivesse em casa. Quisemos trazer esse clima para a China. Enfim, mostrando que cada vez mais no mundo onde o dinheiro importa, na nossa equipe o dinheiro não quer dizer nada, é nossa equipe estar junta - explica o técnico Gilliard Paraná.

É claro que a escolha foi uma estratégia da PRVT. Mas também faz parte da forma como Gilliard vê sua equipe e as artes marciais. A ideia é fazer com que o sucesso de lutadoras como Jéssica sirvam também de alavanca para todos no grupo.

- Costumo falar que saímos na chuva e tudo que chove em um encharca o principal atleta, mas precisa respingar nos outros. E sempre que vamos ao evento pagamos para atletas irem junto. Meus córners são com alunos diferentes. Só eu que falo, só eu que puxo os treinos, então não importa muito quem vá no córner. Procuro revezar entre a galera. Muitos criticam, acham que preciso trazer outros professores. Mas quero manter esse espírito. Se um ganha, todo mundo ganha. E a torcida para que aquele grande campeão se dê bem é muito grande. Em outras equipes é concorrência grande. Abraço, abraço, e vira as costas e torce para perder para dar a vaga. O cara do mesmo peso quer que o outro perca - diz Gilliard.

A opção do treinador é muito bem-vinda por Jéssica Bate-Estaca. Ela lembra que no começo, quando chegou ao UFC, só tinha a companhia do técnico Gilliard Paraná. E cita a importância de dar oportunidade para outras pessoas e ter a presença de um staff que emocionalmente também é fundamental para a campeã peso-palha.

- A nossa equipe é diferenciada. Nunca um time ia trazer tantas pessoas para um trabalho como esse. Mas trouxemos o mestre Paraná, meu empresário, médico, manopleiro, preparador físico, minha esposa. Isso é uma família. Quando chegamos, é para uma guerra e com o batalhão todo. Esse diferencial é graças ao nosso mestre, que ensinou isso a gente. Quanto mais gente junta para te ajudar, com energia positiva, mais você vai crescer e dar certo. Na academia, damos chances para que outros alunos possam viajar. Esse é o ponto forte da nossa equipe. No começo, só dava para trazer o mestre. Agora, cada vez mais evoluímos. Quem sabe na próxima trazemos 20 pessoas e quebramos o UFC (risos) - brinca Jéssica.


Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

Stephen Thompson prega respeito ao brasileiro Vicente Luque: "Não se pode subestimá-lo"

Escalado para lutar em Wembley, Luis Henrique KLB garante: "Vou finalizar no segundo round"

Colby Covington reclama de "bolsa de desafiante" oferecida pelo UFC: "Sou o campeão, não perdi"

Khabib Nurmagomedov finaliza Poirier e unifica títulos dos leves no UFC 242