UFC

Curtis Blaydes menospreza Derrick Lewis: "Ele é previsível, só tem um golpe"

Segundo colocado do ranking dos pesados do UFC compara adversário do evento principal de sábado a Francis Ngannou "mas sem envergadura" e defende estilo de luta feio: "Eu prefiro vencer".

Por

Curtis Blaydes não é um homem de muitas palavras. O peso-pesado deu entrevista ao Combate na terça-feira e foi sucinto em sua análise sobre o confronto contra Derrick Lewis, luta principal do UFC do próximo sábado em Las Vegas.

- Eu espero vencer. Eu espero conseguir minhas quedas, espero dar cotoveladas duras, espero que seja difícil, mas espero vencer - afirmou "Razor" Blaydes.

Lewis é o quarto colocado do ranking dos pesados e é conhecido por nocautes devastadores e viradas incríveis. Mas nada disso parece preocupar Blaydes, que comparou a "Fera Negra" a Francis Ngannou, mas não de uma forma elogiosa.

- Ele gosta de vir com tudo, ele gosta de jogar mãos pesadas. Ele não tem nada além da mão direita e uma joelhada voadora. Eu tenho trabalho de pés, tenho wrestling, tenho trocação, tenho vários caminhos para a vitória, ele só tem um específico. Eu sei que ele é previsível. Ele só tem um golpe, quase um Ngannou, mas sem a envergadura dele.

Blaydes vem de quatro vitórias consecutivas e nove triunfos nas últimas dez lutas válidas (teve um "No Contest" durante a sequência), e teoricamente seria o segundo da fila pelo cinturão, atrás de Ngannou, único homem que já o derrotou no MMA. Contudo, a anunciada subida de Jon Jones, ex-campeão dos meio-pesados, aos pesados colocou toda a divisão em limbo, à espera de uma definição de quem desafiará o campeão Stipe Miocic em seguida.

Para piorar, além da pouca eloquência no discurso, Blaydes é criticado inclusive por Dana White, presidente do UFC, por seu estilo conservador dentro do cage. Apesar de ter cinco nocautes técnicos em nove vitórias no Ultimate, o americano é conhecido por dominar suas lutas com muito wrestling e por fazer poucos confrontos empolgantes, o que afasta os fãs. Mas Blaydes ignora as críticas e garante que vai continuar fazendo o que vem dando certo.

- Se você faz isso, fica correndo atrás de finalizar, você se abre para cometer erros, e é assim que você perde. Eu prefiro vencer. Mesmo que seja uma luta muito chata, desde que eu vença, eu não perco minha posição - analisou "Razor".

Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

McGregor ameaça cancelar trilogia com Poirier após bate-boca com americano

Holly Holm espera revanche com Miesha Tate no UFC: "Sempre gosto de vingar as derrotas"

Ultimate encaminha luta entre Amanda Ribas e Angela Hill para o mês de maio

Francis Ngannou, Adesanya e Kamaru Usman levam África ao topo do UFC