UFC

Pedro Rizzo elogia atuações de Warlley e D'Silva na Ilha da Luta e projeta Raoni em busca do título

Treinador considera positivas as atuações de seus atletas no UFC, em Abu Dhabi, e prevê Raoni Barcellos a caminho do cinturão dos galos caso vença Raphael Assunção em 27 de fevereiro.

Por

Pedro Rizzo esteve na Ilha da Luta, em Abu Dhabi, com dois atletas no UFC Chiesa x Magny, no último dia 20. O saldo acabou ficando em 50%, com Warlley Alves anotando uma vitória por nocaute diante de Mounir Lazzez, enquanto Douglas D'Silva acabou superado por Lerone Murphy na decisão dos jurados.

Em entrevista ao Combate, Rizzo admite ter se surpreendido com o nocaute em apenas 2m35s que Warlley aplicou em seu adversário, mas garante que a estratégia traçada era mesmo pra buscar a vitória na via rápida.

- O Warlley chegou na equipe pra treinar depois de se recuperar de várias lesões. Ele agora faz parte da nossa equipe. Eu nunca tinha treinado o Warlley antes, e minha única apreensão é que eu não sabia como ele é na semana da luta. Senti ele meio nervoso, queria ficar mais no quarto, não queria sair muito. Isso me deixou um pouco apreensivo. Mas a estratégia que traçamos era muito boa, então eu esperava uma boa luta. Lógico que me surpreendeu como foi, por ter sido muito rápido o nocaute. Eu esperava um nocaute no segundo ou no terceiro round. Acho que ele tem um grande potencial. Ele foi campeão do TUF Brasil, ganhou de caras duríssimos dentro da casa, e tem todo potencial pra subir, ser um top 5 e disputar um título. Agora tem que trabalhar, se focar e quem sabe é mais um brasileiro nas cabeças brigando pelo título ou pelo top 5. Vamos trabalhar. É melhor falar menos e trabalhar mais. Acho que o Warlley tem muitas armas pra brigar com os melhores.

Embora não tenha vencido no evento, Douglas D'Silva ganhou elogios do treinador, que espera algumas mudanças para ver seu atleta evoluindo no UFC.

- O Douglas foi a segunda luta que ele fez comigo, a primeira foi quando ele ganhou do Renan Barão. Ele apareceu pra fazer o camp pra lutar essa última luta. Eu até meio que reclamei com ele, falei que tinha que ficar direto aqui pra evoluir, não é só chegar pro camp. O Douglas mora em Castanhal, lá no Pará, e treina muito sozinho só com o preparador físico dele, mas a parte de luta e de combate eu queria ter mais tempo pra treinar e lapidá-lo. Fora de camp, porque no camp você tem que traçar uma estratégia e seguir o caminho. Fora do camp é que você evolui. Mas eu gostei. O Douglas é muito duro. Eu esperei até o final pra ver se ele ia conectar uma mão e virar a luta, mas não aconteceu. O cara teve mais volume, tocou mais no Douglas. Eu até brinquei com o Douglas, porque ele quebrou a cara do adversário toda. Falei que na porrada ele ganhou, mas a luta o cara tocou mais nele e ele perdeu. O Douglas teve duas vezes nas costas do cara, faltou ali um ajuste, uma calma pra poder finalizar. Ele montou, faltou um pouco de ajuste também, e são esses ajustes que eu gostaria de treinar fora de camp. Faltou um pouco mais de tempo pra treinar, pois tenho certeza que ele pode ganhar desse cara. O Douglas é muito duro.

De volta ao Brasil, Rizzo agora tem um novo compromisso: afiar Raoni Barcelos para o duelo contra Raphael Assunção, no dia 27 de fevereiro. O treinador espera ver seu atleta subindo no ranking para buscar uma chance pelo título.

- O Raoni está treinando forte. Ele é um craque, é muito fácil treinar ele. Eu treino o Raoni desde 2008, são 13 anos juntos, então é muito fácil treiná-lo. A gente ajusta a estratégia e ele segue direitinho. Ele está maduro e pronto pra disputar com os melhores. Se ele fizer uma boa luta e vencer o Raphael vai entrar no top 10 e vamos embora! Vamos tentar buscar esse título. Ele parece um bonequinho de controle remoto, você vai botando mais armas e ele vai pegando e utilizando.


Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

Megan Anderson cita envergadura e potência física como desafios a Amanda Nunes no sábado

Às vésperas de defesa de título no UFC, Amanda Nunes admite: "Já fiz tudo o que queria no esporte"

Jon Jones ironiza luta peso-pesado no UFC: "Melhor esses meninos se acostumarem a acelerar o ritmo"

Dana White: Jéssica Bate-Estaca desafia Valentina Shevchenko pelo cinturão no UFC 261