Nocaute

PFL: após “correria” em 2023, Bruno Robusto aposta no planejamento para faturar título

Bruno Robusto garante que está mais preparado em sua segunda disputa do GP dos leves da Professional Fighters League (PFL). […]

PFL: após "correria" em 2023, Bruno Robusto aposta no planejamento para faturar título

Bruno Robusto garante que está mais preparado em sua segunda disputa do GP dos leves da Professional Fighters League (PFL). O brasileiro sobe ao cage para encarar Brent Primus nesta sexta-feira, em Las Vegas, para a primeira rodada da temporada regular da organização. Em entrevista ao Combate, o lutador de 33 anos identificou o que deu errado em 2023, quando perdeu para Olivier Aubin-Mercier nas semifinais. Ele contou que entrou na competição de última hora no ano passado e, por estar 17kg acima do limite da categoria, dedicou seus treinos à perda de peso. Já para este ano, ele vem de uma sequência ininterrupta de um ano de treinamentos.

– (Ano passado) Foi tudo muito na correria, não consegui me programar com meu treinamento. Consegui fazer bons camps, mas não foi tão profissional quanto esse ano. Estou fazendo uns treinos diferentes, que não tive tempo de fazer ano passado. Me sinto melhor, mais experiente, com menos correria. Estava treinando, mas meio sem saber como seria o meu ano (em 2023), não estava preparado como estou esse ano – contou ao Combate.

Na primeira temporada juntando lutadores da PFL com os do Bellator, organização recém-adquirida, Bruno vê com bons olhos a chegada dos novos atletas. Para o carioca, o nível da competição vai subir ainda mais.

– O nível é bem alto, como já era também no ano passado. Mas agora, por exemplo, o cara que eu vou lutar agora é ex-campeão do Bellator. É mais gente que você conhece. Eu acho que não tem luta fácil, mas com certeza o nível subiu, e para mim está sendo uma honra poder lutar com caras desse nível. Ele é um grappler, ele é bom de jiu-jítsu, wrestling, e eu sou striker. Então meu meu jogo é sempre o mesmo, defender as quedas, ou se cair, levantar e ir machucando ele até buscar um nocaute, ou ganhar por pontos, ou finalizar também, porque eu sei jiu-jítsu, né? A gente segue nesse plano.

Bruno Robusto não deixa a possibilidade de ficar milionário subir à cabeça, já que o campeão da competição leva um prêmio de US$ 1 milhão (cerca de R$ 5 milhões). Apesar de assumir que esse pensamento aparece de tempos em tempos, ele garantiu que está focado em dar um passo de cada vez no GP.

– Perdi para o cara duas vezes campeão, e eu ainda não estava adaptado ao sistema. Esse ano me sinto muito mais maduro. Eu penso que posso ser um milionário daqui a alguns meses, mas tenho que quebrar essa pedra no meu caminho agora, que é o Brent Primus, depois a gente vai para segunda. Vai ser sempre passo a passo – concluiu.

 

 

 

 

 

 

Fonte: Combate

COMPARTILHE

Bombando em Nocaute

1

Nocaute

Chael Sonnen será o adversário de Anderson Silva em luta de boxe no Brasil

2

Nocaute

Bellator: disputa de cinturão entre Mix e Magomedov agita evento em Paris

3

Nocaute

Defesa de Devin Haney pede desclassificação de Ryan Garcia

4

Nocaute

Boxe: locutor anuncia vencedora errada e causa confusão no ringue

5

Nocaute

McGregor pode perder até R$ 110,8 milhões em processo movido por Lobov