UFC

Rob Font admite que Marlon Vera não era a luta que ele queria: "Mas é bom voltar a ser pago"

Peso-galo acredita que vencerá por finalização, mesmo reconhecendo a experiência do rival. Ele também diz ter lembranças boas e ruins do Brasil, onde foi derrotado duas vezes.

Por

Mesmo feliz por fazer no próximo sábado mais uma luta principal no UFC - a sua segunda seguida - o peso-galo Rob Font admite que não se empolga em enfrentar o equatoriano Marlon Vera. Para o americano, o fato de vir de derrota para José Aldo na sua última apresentação, o fez não recusar a oferta da organização. Para o lutador, o duelo vale mais pela exposição e pelo pagamento do que pelo desafio que o rival apresenta.

- Ele não era um cara que estava no meu radar. Não era uma luta pela qual eu estava super empolgado, mas vindo de derrota, eu não sei dizer não (risos). Não é uma luta que me faça vibrar, mas é uma luta dura. É uma luta principal, me dá mais exposição e me rende mais um pagamento. Estou feliz com ela. Não é a luta que eu queria, mas é bom estar de volta.

Mesmo sem demonstrar animação pela luta, Font admite que Vera é um rival experiente e perigoso, mas acredita que o vencerá por finalização.

- Acho que vai ser uma batalha entre dois jovens assassinos. Ele vai tentar arrancar a minha cabeça, e eu a dele. Ele está nesse esporte já há algum tempo, tem muita experiência. Vai ser uma grande batalha, mais uma luta principal. Não vai ser fácil, mas acho que terei a minha mão erguida no fim. Acredito que vou finalizá-lo. Ele vai entrar buscando a trocação, não vai se dar bem e vai buscar a luta agarrada. Nós vamos trabalhar no chão e vou pegá-lo de alguma forma.

Analisando a sua última apresentação, na qual foi derrotado por José Aldo na luta principal do evento realizado em 4 de dezembro, Rob Font disse que o brasileiro o acertou de forma precisa muito cedo no combate, machucando-o e assumindo a liderança na disputa, o que dificultou muito a sua tarefa de se recuperar durante o combate.

- Contra o Aldo eu acho que ele me machucou muito cedo, e de forma muito precisa. Eu tentei me recuperar, mas foi muito difícil. E quando você deixa um cara como ele abrir tanta vantagem em uma luta, é difícil correr atrás do prejuízo. Ele fez o que tinha que fazer e conseguiu a vitória.

Rob Font não tem as melhores lembranças do Brasil. Nas duas vezes em que esteve no país, foi derrotado por John Lineker (UFC 198, em Curitiba) e Pedro Munhoz (UFC Machida x Brunson, em São Paulo). Mesmo assim, o americano guarda com carinho as impressões sobre a comida e a torcida.

- Eu tenho uma relação de altos e baixos com o Brasil. Sempre perco para os brasileiros, mas torçam por mim! Já estive lá, e é bem duro (risos). Tenho boas e más memórias de lá. A comida é maravilhosa - a salsicha foi a melhor que eu já comi. Já os resultados, para mim, não foram os melhores. Mas me diverti muito lá. Os gritos de "Uh! Vai morrer!" elevam a temperatura.


Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

Thiago Moisés explica emoção após vitória: "Vinha de duas derrotas"

Após inatividade, Natália Silva mostra alívio com estreia no UFC: "Achei que poderia nem voltar"

Com recorde de bilheteria, presidente do UFC abre o bolso e premia todos os lutadores que nocautearam

Karine Silva e Lucas Almeida faturam bônus de mais de R$ 238 mil logo na estreia no UFC