MMA

Ucraniano campeão do Bellator revela detalhes angustiantes da guerra contra a Rússia

Yaroslav Amosov, que estava programado de defender título contra Michael Page em maio, só voltará ao cage após a guerra em seu país terminar: "O sol vai brilhar, vamos sorrir e tudo ficará bem".

Por

O campeão meio-médio (até 77,1kg) do Bellator, Yaroslav Amosov, segue na linha de frente do exército ucraniano. Vivendo dias de luta fora do cage enquanto defende seu país natal contra na guerra contra a Rússia, Amosov teve a defesa do cinturão contra Michael Page cancelada. Ela estava programada para acontecer no próximo mês, em Londres, no Bellator 281. Ele optou por desistir do confronto e seguir na Ucrânia para resistir à invasão.

- Nossos inimigos chegaram à Ucrânia com armas e causaram o caos. Eu e meus amigos decidimos ajudar a defender nosso país. Nos juntamos à defesa territorial da cidade de Irpin. Os soldados russos bombardeavam casas, matavam civis e estupravam mulheres. Eles mataram pessoas dentro dos carros, pessoas que só queriam fugir do território ocupado por eles. Muitas pessoas ficaram sentadas em porões por mais de um mês. Quando libertamos Irpin, eles receberam um pedaço de pão e choraram agradecendo. Ficaram sentados sem água e luz em silêncio com medo de alguém entrar e serem baleados.

O campeão também contou como conseguiu guardar o cinturão do Bellator. Ele comentou que a luta pelo título interino entre Page e Logan Storley - marcada para o mesmo card em 13 de maio em que Amosov lutaria - não importa no momento e que só vai voltar quando a guerra terminar.

- A minha mãe ficou em casa nos primeiros dias de guerra, mas quando ficou perigoso consegui convencê-la a sair e a levei até um local seguro. Quando ela estava fazendo as malas, acabou escondendo o cinturão no porão. Ainda bem que fez isso, pois durante a ocupação saqueadores passaram por lá e destruíram o apartamento. Minha família está segura. Vim ver minha esposa e meu filho e descansar um pouco. Agora volto para Irpin.

- Eles vão lutar pelo título interino e não importa para mim. Vou esperar a guerra acabar e defender meu cinturão depois. Espero que possamos voltar aos nosso lares e que haja paz na nossa terra. O sol vai brilhar, vamos sorrir e tudo ficará bem.



Fonte: Combate.com

Comentários (0)

Comentar

Destaques

ver blog →

Thiago Moisés explica emoção após vitória: "Vinha de duas derrotas"

Após inatividade, Natália Silva mostra alívio com estreia no UFC: "Achei que poderia nem voltar"

Com recorde de bilheteria, presidente do UFC abre o bolso e premia todos os lutadores que nocautearam

Karine Silva e Lucas Almeida faturam bônus de mais de R$ 238 mil logo na estreia no UFC