UFC

Werdum e Oleynik fazem luta principal do UFC Moscou em setembro

Num duelo que promete colocar o grappling num alto nível no octógono, os dois lutadores somam 55 vitórias por finalização na carreira

Por

Fabrício Werdum pediu, e vai ter. O brasileiro peso-pesado enfrentará o ucraniano-russo
Alexey Oleynik, como afirmou que gostaria em entrevista na última semana. A informação é do jornalista Ariel Helwani, do site “MMA Fighting”. Segundo ele, o combate na categoria até 120kg será a luta principal do UFC Moscou, no dia 15 de setembro, na estreia da organização americana na Rússia.

Num duelo que promete colocar o grappling num alto nível no octógono, os dois lutadores
somam 55 vitórias por finalização na carreira.

Ex-campeão da categoria, Fabrício Werdum tem 40 anos e vem de derrota para outro russo, Alexander Volkov, em março deste ano. Antes, o brasileiro tinha vencido Walt Harris e Marcin Tybura. O cartel de “Vai, Cavalo” é de 23 vitórias e oito derrotas, além de um empate. Ele é o quinto colocado do ranking peso-pesado.

Oleynik, também de 40 anos, tem um vasto cartel: 56 vitórias, 11 derrotas e um empate. No
UFC desde 2014, o lutador russo tem cinco vitórias em sete lutas. Na última delas, no início
desse mês, finalizou o brasileiro Júnior Albini no UFC Rio 9. Oleynik ocupa o décimo lugar no ranking da divisão. 

Nesse último domingo, o russo publicou a assinatura do contrato para lutar em Moscou, mas sem revelar o adversário nas redes sociais.

Fonte: combate.com

Comentários (0)

Comentar

Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal ClickPB não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrarem.

Destaques

ver blog →

Contender Series Brasil começa nesta semana; entenda como funciona o "peneirão do Dana"

Com bigode do pai e coração da filha, Marcos Conrado Jr. quer sua vaga no UFC

De olho em cinturão interino, Ketlen Vieira vê luta dura no UFC São Paulo

Valor de ingressos para ver McGregor no UFC praticamente dobra em dois anos