Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Alexandre de Moraes arquiva pedido de investigação contra Augusto Aras

Alexandre de Moraes arquivou o pedido de investigação contra o procurador-geral da República, Augusto Aras, por suposto crime de prevaricação.

A notícia-crime havia sido apresentada por senadores. (Foto: Reprodução/Rosinei Coutinho)

Por

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes arquivou o pedido de investigação contra o procurador-geral da República, Augusto Aras, por suposta infração penal incorrendo em prevaricação. A informação é da âncora da CNN Daniela Lima.

A notícia-crime havia sido apresentada pelos senadores Fabiano Contarato e Alessandro Vieira. Os parlamentares argumentavam que Aras foi omisso em suas funções.

Segundo Contarato, o procurador-geral da República deveria agir diante de acusações, intimidações e ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) às urnas eletrônicas, ao Congresso e STF.

O pedido de apuração de ilegalidade dos atos de Aras, feito pelos senadores, tratava dos seguintes termos:

  • omissão quanto aos ataques ao sistema eleitoral brasileiro;
  • omissões e recusas de atuar em relação ao dever de defender o regime democrático brasileiro;
  • e omissões, e recusas de atuar em relação ao dever de fiscalizar o cumprimento da lei no enfrentamento à pandemia da Covid-19.

Na decisão de arquivamento, Moraes afirmou que “a petição não trouxe aos autos indícios mínimos da ocorrência do ilícito criminal praticado pelo investigado ou qualquer indicação dos meios que o mesmo teria empregado em relação às condutas objeto de investigação, ou ainda, o malefício que produziu, os motivos que o determinaram, o lugar onde a praticou, o tempo ou qualquer outra informação relevante que justifique a instauração específica dessa investigação pelo delito de prevaricação”.

O ministro do STF também destacou que o Ministério Público é “instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis”. Moraes disse que o fortalecimento institucional do Ministério Público alterou a estrutura da própria instituição e o desenho da Tripartição de Poderes e que a independência do MP “é tão importante que a Constituição Federal considera crime de responsabilidade do Presidente da República a prática de atos atentatórios do livre exercício da instituição”.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

DJ Ivis tem liberdade concedida pela Justiça cearense após ser preso por agressão à ex-mulher Pamella Holanda

Filiação de Moro ao Podemos é marcada para 10 de novembro

Governo deve se reunir com caminhoneiros na próxima semana

Guedes diz que ala política fez pescaria e sondou colocar Mansueto no seu lugar