Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Pandemia

Ao menos 3 estados têm cerca de 80% dos leitos de UTI para Covid ocupados; confira

Em Pernambuco, a taxa de ocupação está em 86%. No Espírito Santo, o índice chega a 79,17%; e, no Ceará, atingiu 78,72%.

Ao menos três estados (Pernambuco, Espírito Santo e Ceará) estão com taxa de ocupação em torno de 80%. (Foto: Reprodução)

Por

O aumento no número de novos casos de Covid-19 em razão da variante ômicron, mais transmissível, e de pacientes com Influenza tem pressionado neste início de ano as redes hospitalares, refletindo na taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Ao menos três estados (Pernambuco, Espírito Santo e Ceará) estão com taxa de ocupação em torno de 80%.

Confira a taxa de ocupação dos leitos de UTI no país por Covid ou Covid e Influenza*:

  • Acre: 30%
  • Alagoas: 48%
  • Amazonas: 66,67%
  • Bahia: 59%
  • Ceará: 78,72%
  • Espírito Santo: 79,17%
  • Minas Gerais: 25,85%
  • Paraná: 57%
  • Pernambuco: 86%
  • Piauí: 57,4%
  • Rio Grande do Norte: 52,1%
  • Rio Grando Sul: 54,7%
  • Santa Catarina: 41,25%
  • São Paulo: 51,7%
  • Tocantins: 70%

(*Algumas taxas representam o percentual somente na rede pública estadual ou toda a rede pública e outras incluem a rede privada. Confira abaixo)

Veja a situação mais detalhada por estado:

Acre

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, a rede pública tem 20 leitos de UTI para Covid, dos quais seis estavam ocupados na manhã desta quarta - o que representa uma taxa de ocupação de 30%. Esses leitos atendem toda a demanda de UTI Covid do estado.

Em 17 de março do ano passado, pico da pandemia no estado, a ocupação na UTI chegou a 100%, e pacientes tiveram de ser transferidos para Manaus.

Alagoas

Segundo a secretaria estadual de Saúde, dos 397 leitos UTI e enfermaria da rede SUS, 48% estão ocupados. Esses leitos são exclusivos para pacientes com Covid e Influenza e incluem os destinados ao público adulto, pediátrico e obstetrício.

No ano passado, a situação chegou a ficar crítica nos meses de maio e junho. Em maio, a taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid chegou a 100% em três municípios do interior. Em Maceió, a taxa atingiu 90% de ocupação. No mês de junho, a ocupação ainda continuava no patamar de 90%.

Amazonas

No Amazonas, os 120 leitos de UTI para Covid ficam todos na capital, Manaus, e estão com taxa de ocupação de 66,67%. Os dados incluem os leitos municipais, estaduais, federais e privados, tanto para o público adulto quanto pediátrico.

Bahia

A Bahia tinha 1.309 leitos ativos para tratamento da Covid-19. Segundo dados de terça-feira (18), 772 estão com pacientes internados, o que representa taxa de ocupação geral de 59%.

Desses leitos, 545 são de UTI adulto e estão com taxa de ocupação de 65% (352 leitos ocupados). Nas UTIs pediátricas, 19 das 29 vagas estão com pessoas internadas, o que representa taxa de ocupação de 66%. Os leitos clínicos para adultos estão com 53% de ocupação e os infantis, com 72%.

Em Salvador, dos 325 leitos ativos, 234 estão ocupados (72% de ocupação geral). A taxa de ocupação dos leitos de UTI adulto é de 64% e o pediátrico está em 60%.

Em comparação, no dia com o maior número de casos no estado, registrado em 9 de junho de 2021, a ocupação chegou a 84% (sendo que o número de leitos disponíveis era maior: 1.623)

Na data em que houve recorde de mortes na Bahia, em 7 de abril de 2021, a taxa de ocupação foi de 82%. Nesse dia, o estado tinha 1.539 leitos de UTI e 1.267 pessoas internadas.

Ceará

O Ceará registrou nesta quarta-feira (19) 78,72% de ocupação nos leitos de UTI por Síndromes Respiratórias Gripais, como a Covid-19 e Influenza A, em hospitais públicos e privados. O dado consta da plataforma IntegraSUS.

O aumento da ocupação pelas síndromes respiratórias fez o Governo do Ceará suspender as cirurgias eletivas nos hospitais públicos estaduais no início do mês. A mesma medida foi adotada pelo Hospital Unimed Fortaleza na terça-feira (18).

As maiores ocupações foram registradas nos leitos de UTI neonatal com 100% e UTI infantil, com 90% de ocupação. Já a UTI adulto registrou 76,96% de ocupação e a UTI gestante 62,5%.

Em Fortaleza, Hospital Leonardo da Vinci, unidade de referência no tratamento de casos de Covid-19 no estado, está com 44 dos 45 leitos de UTI para pacientes com síndromes respiratórias gripais ocupados. Na rede particular, o Hospital São Carlos está com 11 dos 15 leitos da UTI adulto ocupados.

Em março de 2021, pico da pandemia no estado, a taxa de ocupação chegou a 100% dos leitos na época.

Espírito Santo

Em todo o Espírito Santo, a taxa de ocupação dos leitos de UTI destinados a pacientes com Covid-19 até a última atualização era de 79,17% (incluindo leitos em hospitais municipais, estaduais, federais e privados).

Em março do ano ano passado, quando o sistema hospitalar do estado esteve sob maior pressão na pandemia, esse índice chegou a 96%.

Minas Gerais

Em relação ao estado, a taxa de ocupação de leitos UTI SUS Covid é 25,85%, de acordo com boletim divulgado nesta quarta-feira (19). São leitos públicos (municipais e estaduais). O boletim não considera os hospitais privados. Em fevereiro, eram 2.072 leitos UTI SUS e, agora, são 4.181.

De acordo com boletim de terça-feira (18) divulgado pela prefeitura, Belo Horizonte tem 82,1% de leitos de UTI ocupados, somando o SUS e a rede suplementar (municipal, estadual, federal e privados). São leitos destinados a pacientes com Covid-19. A conta considera leito adulto, pediátrico e obstetrício.

Nos meses de março e abril do ano passado, a taxa de ocupação de UTI no estado atingiu 100%.

Paraná

Segundo dados de terça-feira (18) da secretaria de Saúde, os leitos exclusivos para adultos com Covid no SUS estava com taxa de ocupação de 57%. Na enfermaria, esse índice era de 63%

No caso da UTI pediátrica no SUS, os 5 leitos estavam vazios, mas 40% dos leitos em enfermaria pediátrica estavam ocupados. Não tem dados sobre a rede privada.

A taxa de ocupação mais alta desde o início da pandemia foi em março de 2021, com 97% das 1.639 UTIs adultas das quatro macrorregiões ocupadas.

No caso de Curitiba, dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que, na terça (18), a taxa de ocupação dos 97 leitos de UTI SUS exclusivos para Covid-19 estava em 64%.

Pernambuco

Na terça-feira (18), as UTIs de Pernambuco estavam com de 86% de ocupação na rede pública e de 63% na rede privada. As enfermarias públicas tinham ocupação de 71% e as particulares, de 27%.

Num dos piores momentos da pandemia no estado, em março de 2021, o percentual de ocupação de UTI na rede pública atingiu esses mesmos 86%.

Piauí

O estado do Piauí está com 57,4% dos seus 148 leitos para Covid ocupados (incluindo leitos adultos e pediátricos nas redes privada e pública).

Na capital Teresina, essa taxa está em 60,7% de ocupação (84 leitos do total)

No pior momento da pandemia no estado, a taxa de ocupação chegou a 94,9% em 18 de abril de 2021 nas vagas de UTI no estado. Na capital, esse índice foi de 93% de ocupação.

Rio Grande do Norte

No Rio Grande do Norte, considerando todos os leitos públicos destinados para pacientes com Covid (estaduais, municipais, federais), a taxa de ocupação na UTI é de 52,1%, com 62 pacientes.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela secretaria de Saúde do RN , na rede privada, a taxa de ocupação era de 24% na segunda-feira (18).

No momento mais crítico da pandemia, em 31 de maio de 2021, a ocupação chegou a 99% de ocupação dos 406 leitos disponíveis de UTI.

Rio Grande do Sul

No Rio Grande do Sul, do total de 3.169 leitos de UTI destinados para pacientes adultos com Covid, 54,7% (ou 1.735) estavam ocupados - incluindo leitos municipais, estaduais, federais e privados.

No fim de fevereiro e em março de 2021, essa taxa ficou acima dos 100% por vários dias, quando houve o colapso na rede hospitalar.

Naquela época, a secretária da Saúde do Rio Grande do Sul, Arita Bergmann, alertou para o risco de esgotamento da capacidade do sistema de saúde do estado no combate ao coronavírus. A titular da pasta afirmou enxergar "o pico do Everest", em menção à situação da pandemia no RS, e chegou a dizer que estavam "apavorados".

Santa Catarina

Segundo informações da manhã desta quarta-feira (19), os leitos de UTI na rede SUS destinados apenas para Covid estão com 41,25% de taxa de ocupação ( 224 dos 543 leitos disponíveis).

Considerando Covid e as demais doenças, a taxa de ocupação é de 74,45% nos leitos de UTI da rede SUS. No total, são 1.397 leitos ativos em hospitais municipais, estaduais, federais ou filantrópicos. Desses, 1.040 estão ocupados.

Em Florianópolis, a taxa de ocupação de UTI para Covid é de 70,37%. Considerando as demais doenças, esse índice chega a 85,81%.

São Paulo

No estado de São Paulo, a taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid estava em 51,7% nesta quarta-feira (19), incluindo hospitais públicos e privados. O número de leitos é de cerca de 4.300, mas varia diariamente, porque, quando necessário, o estado aumenta esse número remanejando os leitos comuns.

Na Grande São Paulo, o percentual ocupado de leitos de UTI é de 58,3%.

Tocantins

No estado do Tocantins, a taxa de ocupação geral dos leitos de UTI para Covid nos hospitais estaduais é de 70% nesta quarta-feira, com 72 dos 103 leitos com pacientes, segundo dados da seretaria estadual.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Era Bolsonaro é repugnante, diz diretor teatral que dribla Parkinson ao montar peças

Neve anima moradores em Santa Catarina e atrai turistas no meio da semana

Sistemas do Ministério da Saúde ficam fora do ar após suspeita de ataque hacker

STF julga constitucionalidade da Lei Seca e tolerância zero está no centro da discussão