Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Declaração

'Bolsonaro deveria levar uma surra de cinto', diz Cássia Kis

Para ela, o comportamento do presidente, de um "homem infantil, que não amadureceu", piora a situação.

Kis também contou aos jornalistas da revista que tem se sentido muito triste durante o período de isolamento contra o novo coronavírus. (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A atriz Cássia Kis, 62, disse que Jair Bolsonaro deveria "levar uma surra de cinto da mãe dele", em entrevista à revista Veja publicada na última quarta-feira (8).

Para ela, o comportamento do presidente, de um "homem infantil, que não amadureceu", piora a situação. "Os absurdos que ele diz são coisas de criança, de homem mimado. O Bolsonaro tinha que levar uma surra de cinto da mãe dele", acrescentou.

Kis também contou aos jornalistas da revista que tem se sentido muito triste durante o período de isolamento contra o novo coronavírus.

"Choro todos os dias e às vezes tenho a sensação de que estou testemunhando o fim do mundo, porque não dá para viver em paz sabendo que tem gente sem ter o que comer, sem acesso à saúde", relatou.

A atriz está de volta às telas com a reprise da novela "Vale Tudo", de 1988, que começará a ser exibida no dia 20 de julho na plataforma de streaming Globoplay.

Kis interpreta a vilã Leila, responsável pelo assassinato de Odete Roitman, personagem da atriz Beatriz Segall.


Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Ricardo Eletro fecha todas as lojas e pede recuperação judicial

Bolsonaro foi preponderante para termos 100 mil mortes por Covid, diz Mandetta

Congresso e STF decretam luto em homenagem aos 100 mil brasileiros mortos de Covid-19

Bispo Edir Macedo é investigado pelo MPF por declaração sobre coronavírus