Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Pandemia

Brasil registra 1.075 óbitos por Covid nas últimas 24 h; Rio Grande do Sul bate recorde de mortes

O estado atual da doença no país é acelerado, depois de um breve intervalo de estabilidade, com alta de mortes desde o final de novembro.

As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil registrou 1.075 óbitos pelo novo coronavírus e 57.319 casos da doença nas últimas 24 horas. O país, assim, chega a 192.716 óbitos e a 7.564.209 de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Os números desta terça-feira (29) representam mais que o dobro do número de óbitos e casos divulgados no dia anterior. Números mais baixos aos feriados, domingos e segundas são comuns devido ao atraso de notificação das secretarias estaduais.

O estado do Rio Grande do Sul registrou o mais alto número de novas mortes por Covid-19 em um dia: foram 144. O último recorde tinha sido apenas uma semana antes, no dia 22 de dezembro, quando o estado registrou 101 óbitos pelo novo coronavírus – o único registro acima de cem óbitos até então.

O RS acumula até o momento 8.680 mortes por Covid-19 e 438.458 casos, sendo o quinto estado mais afetado pela pandemia, atrás somente de SP (1.440.229 casos), MG (529.653), BA (487.691) e SC (485.935).

Os dados do país são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

O jornal Folha de S.Paulo também divulga a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença, pois atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h desta terça-feira (29), a média de mortes nos últimos sete dias é de 633, um aumento de 2,5% em relação ao dia anterior. O estado atual da doença no país é acelerado, depois de um breve intervalo de estabilidade, com alta de mortes desde o final de novembro.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (29) aponta 58.718 novos casos confirmados da Covid-19 nas últimas 24h, com 1.111 novas mortes.
Desde o início da epidemia, segundo dados do ministério, são 7.563.551 novos casos e 192.681 mortes pela doença. Há, ainda, 2.508 mortes ainda em investigação.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Infectados devem esperar um mês antes de vacinar contra covid-19, diz médico

Covid-19: pessoas já infectadas devem esperar um mês antes de vacinar

Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em março

Fux marca para terça-feira julgamento sobre CPI da Covid-19