Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Brasil

Brasil tem 1.277 novas mortes pela Covid-19 e país chega a 61.990 óbitos

O Brasil tem uma taxa de cerca de 29,6 mortos por 100 mil habitantes.

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde apontam 48.105 novos casos e 1.252 novas mortes confirmadas pela Covid-19 no Brasil nesta quinta-feira (02). (Foto: Reprodução)

Por

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — O Brasil registrou 1.277 novas mortes pela Covid-19 e 47.984 casos nesta quinta (2). Com isso, o país chega a 61.990 óbitos pela doença e um 1.501.353 total de casos.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo, G1 e UOL para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais. O balanço é fechado diariamente às 20h.

O Brasil tem uma taxa de cerca de 29,6 mortos por 100 mil habitantes. Os Estados Unidos, que têm o maior número absoluto de mortos, e o Reino Unido, ambos à frente do Brasil na pandemia (ou seja, começaram a sofrer com o problema antes), têm 39,4 e 66,3 mortos para cada 100 mil habitantes, respectivamente.

Na Argentina, onde a pandemia desembarcou nove dias mais tarde que no Brasil e que seguiu uma quarentena muito mais rígida, o índice é de 3,1 mortes por 100 mil habitantes.

Dados divulgados pelo Ministério da Saúde apontam 48.105 novos casos e 1.252 novas mortes confirmadas pela Covid-19 no Brasil nesta quinta-feira (02). O total já chega a 61.884 mortes e 1.496.858 casos pelo novo coronavírus.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Ricardo Eletro fecha todas as lojas e pede recuperação judicial

Bolsonaro foi preponderante para termos 100 mil mortes por Covid, diz Mandetta

Congresso e STF decretam luto em homenagem aos 100 mil brasileiros mortos de Covid-19

Bispo Edir Macedo é investigado pelo MPF por declaração sobre coronavírus