Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

Protestos

Campanha nacional contra Bolsonaro marca nova manifestação para 7 de setembro

As principais pautas da campanha são a saída do presidente, aceleração da vacinação, auxílio emergencial de R$ 600 e fim da violência policial.

A campanha é capitaneada pelas frentes Povo Sem Medo, a Brasil Popular e a Coalizão Negra por Direitos, que reúnem centenas de entidades do chamado campo progressista. Também participam PT, PCdoB e PSOL. (Foto: Reprodução)

Por

TÓQUIO, JAPÃO (FOLHAPRESS) — A campanha Fora, Bolsonaro, fórum que reúne as organizações que encabeçam os atos pelo impeachment de Jair Bolsonaro (sem partido), marcou para 7 de setembro nova mobilização nacional contra o presidente.
A última manifestação aconteceu em 24 de julho.

As principais pautas da campanha são a saída do presidente, aceleração da vacinação, auxílio emergencial de R$ 600 e fim da violência policial.

A campanha é capitaneada pelas frentes Povo Sem Medo, a Brasil Popular e a Coalizão Negra por Direitos, que reúnem centenas de entidades do chamado campo progressista. Também participam PT, PCdoB e PSOL.

"A continuidade das mobilizações de ruas pelo Fora, Bolsonaro é um imperativo diante dos crimes cometidos pelo presidente da República", diz Raimundo Bomfim, coordenador da CMP (Central de Movimentos Populares) e um dos líderes das marchas.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Noivos passam mal antes do casamento, e ex-namorada é suspeita de envenenar casal

Covid-19: Brasil tem 15,7 mil novos casos e 537 mortes em 24 horas

Polícia Federal recupera garrafas de vinho, avaliadas em R$ 60 mil, furtadas do Ministério das Relações Exteriores

Uber diz que baniu 1.600 motoristas por cancelamento de viagem