Novidade que vem por aí

A Rede Click vai trazer muitas novidades. Você vai poder enviar notícias através do VCnoClick, anunciar gratuitamente seus produtos e serviços no Click Classificados e concorrer a prêmios com o Click Vantagens.

Deixe seu contato e seja um dos primeiros a ser avisado quando a Rede Click entrar no ar!

Por favor insira um e-mail válido
Contato registrado com sucesso!

Brasil

Editoria sobre Brasil ir para editoria →

PPI

Correios e Telebras entram oficialmente em estudos para privatização

Correios e Telebras entram no PPI (Programa de Parcerias de Investimentos); privatização deverá ter aval da Câmara e Senado.

Correios podem ser privatizados (Foto: Reprodução)

Por

Dois decretos assinados pelo presidente Jair Bolsonaro qualificaram os Correios e a Telebras para o (Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), que fará estudos para avaliar de qual forma elas poderão ser repassadas ao setor privado. Uma possível venda precisará de autorização da Câmara e do Senado. 

O decreto 10.066/2019, publicado no Diário Oficial nesta quarta-feira (16), qualifica os Correios no âmbito do PPI. O decreto 10.667, publicado na mesma data, faz o mesmo para a Telebras.

O objetivo é “possibilitar a realização de estudos e a avaliação de alternativas de parceria com a iniciativa privada e propor ganhos de eficiência e resultados para a empresa, com vistas a garantir sua sustentabilidade econômico-financeira”.

Nos dois casos, será formado um comitê interministerial com membros da Casa Civil, Ministério da Economia e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). O Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES) será convidado para participar, assim como as próprias estatais.

O comitê poderá “solicitar apoio técnico de outros órgãos e entidades”. Os estudos deverão ser realizados e avaliados em 180 dias; o prazo pode ser prorrogado por mais 180 dias.

    Privatização dos Correios deverá ter aval do Congresso

Se o governo decidir vender os Correios ou a Telebras, o caso passará para as mãos do Congresso. A privatização de qualquer estatal controlada pela União deve ser aprovada pela Câmara e pelo Senado, de acordo com decisão do STF (Supremo Tribunal Federal).

Por isso, a privatização dos Correios e da Telebras deve demorar um pouco. A secretária especial do PPI, Martha Seillier, acredita que isso só deve ocorrer depois de 2021. Antes disso, o governo já deve ter vendido outras estatais, como a Eletrobras, Casa da Moeda, Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) e Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social).

Os Correios e a Telebras são vinculadas ao MCTIC. O ministro Marcos Pontes disse ao Correio Braziliense que não é contra a venda para o setor privado, e que o PPI ajudará a melhorar a governança e a gestão das duas estatais. Ele afirma que o presidente dos Correios, Floriano Peixoto,  “vai continuar a reforçar a empresa; quanto mais forte estiver, melhor, inclusive para o caso de privatização”.

Compartilhe:

Comentários (0)

Comentar

Destaque

ir para editoria →

Show de dupla sertaneja é interrompido após palco pegar fogo em SP

Homem é atacado por jacaré em lago de Campo Grande

Tempestade de poeira e chuvas atingem Centro-Oeste e assustam moradores

Rio dispensará uso de máscara em local aberto, mas estado mantém exigência